Cristas não exclui novo Governo PSD/CDS mas considera pouco provável com atual líder do PS

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 26 fev (Lusa) - A candidata à liderança dos centristas Assunção Cristas não excluiu hoje que no atual quadro parlamentar seja possível "devolver a bola" a PSD e CDS para governar, apesar de considerar pouco provável com o atual líder do PS.

"No atual quadro parlamentar houve uma coligação que ganhou eleições, se porventura, dirá num cenário pouco provável, vier a acontecer alguma mudança do lado do PS, eu acho que é sempre possível devolver a bola à coligação que ganhou as eleições e verificar se há condições para a governação e, nesse caso, certamente que o CDS lá estará", afirmou Assunção Cristas.

Na sede nacional do CDS, em Lisboa, durante a apresentação da sua moção de estratégia global ao 26.º Congresso, Assunção Cristas ressalvou, contudo, duvidar "que seja sequer possível ou sequer provável com o atual líder do PS".

"A minha convicção é que o CDS deverá ir sozinho a eleições, de maneira a poder crescer e contribuir mais ativamente para um Governo de centro-direita no nosso país", defendeu Assunção Cristas.

A ex-ministra da Agricultura não excluiu, por outro lado, considerar a realização de primárias abertas para a escolha dos candidatos à Assembleia da República, uma discussão lançada pela moção de João Almeida e Adolfo Mesquita Nunes, e hoje divulgada.

"O partido tem feito trabalho relevante conseguindo ter um belíssimo grupo parlamentar, certamente que podemos melhorar os métodos de escolha e esse é um debate que caberá a seu tempo no Congresso e posteriormente também", respondeu, quando questionada pelos jornalistas sobre a realização de primárias.

ACL // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Chumbadas propostas para compensar e fixar professores

O parlamento rejeitou esta sexta-feira projetos de lei do PCP, do PAN e do BE em defesa de medidas para compensar os professores deslocados e tornar a profissão mais atrativa, face à carência de docentes nas escolas.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.

Cavaco acusa Costa e Governo de "imobilismo" que impede reformas

O antigo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, defendeu esta sexta-feira que o primeiro-ministro António Costa e o Governo devem sair "da situação de imobilismo" para realizarem as reformas decisivas e colocar a economia portuguesa numa trajetória de crescimento sustentável.