Líder concelhio do PSD/Porto assume responsabilidade por "resultado desastroso"

| Política
Porto Canal / Agências

Porto, 04 out (Lusa) -- Ricardo Almeida, que se demitiu do cargo de líder da concelhia do PSD/Porto, afirmou hoje "assumir as responsabilidades" pelo "resultado desastroso" que o partido obteve nas eleições autárquicas de domingo na cidade.

"Acho que os protagonistas políticos devem assumir as suas responsabilidades e eu assumo as minhas, apresentando desde logo a minha disponibilidade para me demitir, para não ser recandidato a líder do PSD na cidade e, no entanto, continuar ao lado do meu partido, como sempre estive", disse Ricardo Almeida.

O responsável afirmou que apenas a vitória do candidato do PSD no Porto, Luís Filipe Menezes, seria um bom resultado para o partido.

"O PSD é um partido de poder, um partido estruturado, bem organizado, um partido popular e, portanto, tudo o que seja abaixo da vitória é sempre mau", disse.

Para o social-democrata, o "problema" do mau resultado na cidade "esteve claramente no partido" e não no candidato.

"Enquanto líder da concelhia não consegui unir o partido em torno do candidato, teve as consequências que teve", sustentou.

Ricardo Almeida terminaria o seu mandato de líder da concelhia em janeiro. As eleições para a nova liderança do PSD/Porto deverão decorrer em novembro.

O social-democrata entendeu ainda que "acaba aqui um ciclo, que tem a ver com as eleições autárquicas", sendo agora altura de "dar a oportunidade a outros protagonistas".

O independente Rui Moreira foi eleito no domingo presidente da Câmara Municipal do Porto, obtendo 39,25%. O socialista Manuel Pizarro, obteve 22,68% e o candidato da coligação PSD/PMT/PPM, Luís Filipe Menezes, alcançou 21,06%.

No domingo, o candidato do PSD/PPM/MPT à Câmara do Porto, Luís Filipe Menezes, assumiu a derrota na cidade e pediu união em torno do vencedor, Rui Moreira.

"Eu não estou habituado a perder, é a primeira vez que perco", afirmou Menezes na sede da sua candidatura, que sublinhou que a derrota é "exclusivamente" sua e não do PSD.

O social-democrata afirmou que todos se devem "unir à volta do presidente eleito".

Concorreram à Câmara do Porto Menezes (PSD/MPT/PPM), Rui Moreira (independente), Manuel Pizarro (PS), Pedro Carvalho (CDU), José Soeiro (BE), Nuno Cardoso (independente), José Carlos Santos (PCTP/MRPP) e José Manuel Costa Pereira (PTP).

JAP (LIL) // JGJ

Lusa/Fim

+ notícias: Política

França disponível para "revisitar" interligações ibéricas de energia

O secretário de Estado português dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes, obteve esta terça-feira da sua homóloga gaulesa disponibilidade para "revisitar" a questão das interligações ibéricas de energia, em encontro até ao final do ano com Portugal e Espanha.

Fim da propina para ensino de português no estrangeiro não passará no parlamento, afirma Paulo Pisco

Os pareceres do BE, PCP e PAN sobre a eliminação da propina para o ensino de português no estrangeiro foram esta terça-feira votados favoravelmente em comissão parlamentar, uma intenção que não passará no parlamento, segundo o deputado socialista Paulo Pisco.

MAI diz que novo plano de investimentos para forças de segurança é oportunidade para o país

O ministro da Administração Interna disse esta terça-feira que o novo plano de investimento em infraestruturas e equipamentos das forças de segurança até 2026 é “uma oportunidade” para o país e para a resolução dos problemas das polícias.