Criada petição contra despedimentos no JN

Criada petição contra despedimentos no JN
Foto: Pedro Benjamim | Porto Canal
| Porto
Porto Canal

Foi criada uma petição ‘online’ contra o “despedimento de cerca de 150 pessoas, das quais 40 na redação do “Jornal de Notícias” - que entre a sede no Porto e a delegação de Lisboa tem cerca de 90 profissionais”, pode ler-se no texto disponível.

Foi anunciado, no final da passada semana, que o Global Media Group, detentor do JN, decidira avançar com um despedimento coletivo no grupo, de acordo com um correio eletrónico enviado pelas delegadas sindicais do jornal.

No correio eletrónico enviado à redação, a que a agência Lusa teve acesso, as delegadas sindicais do JN referem que a administração do Global Media Group (GMG) comunicou a intenção de proceder a um despedimento coletivo no grupo, para contrariar uma situação financeira que dizem ser “muito complicada”.

No texto da petição pública, é referido que” apresenta anualmente resultados positivos, na ordem dos milhões de euros”.

O texto da petição termina pedindo que seja assinada a petição para ajudar “a proteger 135 anos de história”.

“Apelamos ao apoio dos nossos leitores e a todos os que prezam a liberdade de imprensa e de expressão, bem como a todas as personalidades e instituições do país, pedindo-lhes que assinem a petição e ajudem a proteger 135 anos de história ao lado das pessoas”, pode ler-se.

Esta quarta-feira foi anunciado que o Sindicato dos Jornalistas iria debater com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a situação no Global Media Group e no jornal A Bola.

+ notícias: Porto

O antigo quarteirão da Casa Forte mudou com o Porto

O antigo quarteirão da Casa Forte, no coração do Porto, ganhou o nome da loja da esquina voltada ao Mercado do Bolhão. A emblemática empresa da cidade viria a encerrar em 2004, paradoxalmente o ano da criação da Porto Vivo, Sociedade de Reabilitação Urbana, que lançou as bases da nova vida do quarteirão. Entre projetos, demolições e mudança de promotores imobiliários, só ao fim de quase 20 anos é que o espaço da cidade vai voltar a receber moradores. Numa viagem pela história, que resposta dá à cidade o novo Quarteirão da extinta Casa Forte?

“A ‘cidade-negócio’ vai-se descaracterizando completamente perdendo interesse até para turistas”

A histórica Mercearia do Bolhão, aberta no Porto desde 1880, vai encerrar portas a 30 de abril para dar lugar a uma loja da multinacional Ale-Hop, como avançou o Porto Canal na manhã desta sexta-feira. À esquerda, os vereadores da oposição da Câmara do Porto lamentam que a cidade se vá ‘descaracterizando’.

Neonia: o novo museu interativo e néon que ilumina a história do Porto

Sabia que em 1917, dois acrobatas subiram à Torre dos Clérigos sem qualquer equipamento de proteção para promover uma marca de bolachas? Apesar de já ter passado mais de um século, este é um entre os tantos acontecimentos lembrados no novo museu que abriu portas este sábado no coração do Porto. “O Neonia é uma pura homenagem à cidade”, sublinha um dos responsáveis.