"O PS não vai passar os próximos quatro meses a discutir um processo judicial", garante Pedro Nuno Santos

"O PS não vai passar os próximos quatro meses a discutir um processo judicial", garante Pedro Nuno Santos
| Política
Porto Canal

Pedro Nuno Santos garante que “o PS não vai passar os próximos quatro meses a discutir um processo” judicial, embora não ignore o abalo que os acontecimentos recentes tiveram no país. 

O ex-ministro das Infraestruturas apresenta, esta segunda-feira, a candidatura à liderança do PS, na sede do partido, no Largo do Rato, em Lisboa. 

Num discurso várias vezes interrompido pelos aplausos das dezenas de pessoas presentes na sala, Pedro Nuno Santos compromete-se a “afirmar sem margem para quaisquer dúvidas que o combate à corrupção é uma prioridade do Estado”, bem como a “necessidade imperiosa das regras do Estado de Direito Democrático”.

Os elogios a António Costa

Pedro Nuno Santos deixou ainda largados elogios a António Costa. “Teve a iniciativa de desfazer o bloqueio que colocava em desvantagem o PS perante a direita” na capacidade para governar.

"Rompeu os muros", afirma o candidato, que garante que “seria errado e injusto esquecer o legado dos governo de António Costa”.

+ notícias: Política

Rui Rocha garante que nunca fará entendimentos com o Chega

O presidente da Iniciativa Liberal (IL) garantiu, esta segunda-feira, que nunca fará nenhum entendimento com o Chega por se tratar de um partido político “completamente irresponsável e que não assegura a dignidade humana”.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.

Governo e PS reúnem-se em breve sobre medidas de crescimento económico

Lisboa, 06 mai (Lusa) - O porta-voz do PS afirmou hoje que haverá em breve uma reunião com o Governo sobre medidas para o crescimento, mas frisou desde já que os socialistas votarão contra o novo "imposto sobre os pensionistas".