Ex-CEO da TAP e Manuel Beja alvo de processo do MP junto do Tribunal de Contas no caso Alexandra Reis

Ex-CEO da TAP e Manuel Beja alvo de processo do MP junto do Tribunal de Contas no caso Alexandra Reis
| País
Porto Canal / Agências

O Ministério Público junto do Tribunal de Contas abriu um processo para apurar a responsabilidade financeira de Chistine Ourmières-Widener e Manuel Beja no pagamento da indemnização a Alexandra Reis, após a análise do relatório da Inspeção Geral de Finanças.

Fonte oficial do Tribunal de Contas (TdC) confirmou à Lusa que, do processo de acompanhamento do relatório elaborada pela Inspeção Geral de Finanças (IGF), “derivou requerimento do Ministério Público que deu origem a processo de apuramento de responsabilidade financeira".

A notícia foi avançada esta quarta-feira pelo Observador.

Em causa está a indemnização de 500 mil euros paga à ex-administradora da TAP Alexandra Reis, alvo de um relatório da IGF e que deu origem à Comissão Parlamentar de Inquérito à companhia e levou à demissão da presidente executiva, Christine Ourmières-Widener, e do presidente do Conselho de Administração, Manuel Beja.

A auditoria da IGF já previa o envio do relatório ao presidente do Tribunal de Contas “para conhecimento da matéria de facto e de direito” em “virtude de poderem ser integradoras de infrações financeiras”.

A auditoria da IGF, pedida pelo Governo, declarou nulo o acordo para a saída de Alexandra Reis da TAP com uma indemnização de meio milhão de euros, estando na base da decisão do executivo de exonerar com justa causa, em março, Christine Ourmières-Widener e Manuel Beja, os dois responsáveis pela assinatura desta decisão.

A saída de Alexandra Reis foi negociada à luz do Código das Sociedades Comerciais e não do estatuto do gestor público, que abrange a TAP desde 2020 e que não permitiria esta indemnização.

Christine Ourmières-Widener já recorreu à justiça para contestar a decisão de exoneração, pedindo uma indemnização de 5,9 milhões de euros.

+ notícias: País

Realizador do Porto vence melhor filme nos prémios do Cinema Português

Na 13.ª edição dos Sophia, João Canijo recebeu o prémio de Melhor Realização e conquistou ainda o de Melhor Filme por “Mal Viver”.

Portugal é o 10º melhor país para a comunidade LGBTQIA+

Portugal está de regresso ao top 10 do ranking europeu dos direitos das pessoas LGBTQIA+, naquela que é uma classificação da ILGA Europe que em 2022 colocava o país em 11º lugar. Desde 2016 que o primeiro lugar é ocupado por Malta, seguida de Islândia e Bélgica.

Portugal esgota na terça-feira os recursos deste ano e começa a usar os de 2025

Portugal esgota na terça-feira os recursos disponíveis para este ano, passando a consumir recursos que só deviam ser usados em 2025, indicam dados da organização internacional “Global Footprint Network”.