Em setembro país vai viver a maior manifestação de sempre pela habitação, avisa Mariana Mortágua

Em setembro país vai viver a maior manifestação de sempre pela habitação, avisa Mariana Mortágua
| País
Porto Canal / Agências

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) disse este sábado que em setembro o país vai viver a maior manifestação de sempre pela habitação para dizer ao Governo que é preciso mudar de agulha.

"Setembro é o mês da crise da habitação e é o mês das respostas pela habitação e a resposta vai ser no dia 30 de setembro quando este país sair à rua, quando os lesados dos juros da banca saírem à rua, quando os estudantes saírem a rua, quando uma geração inteira que não consegue ver o futuro porque não tem casa sair à rua e dizer ao Governo que é preciso mudar de agulha", disse Mariana Mortágua.

A líder do BE falava aos jornalistas durante uma visita às festas populares de Corroios, no concelho do Seixal, distrito de Setúbal.

"Entendemos que a crise da habitação coloca em causa algumas das melhores coisas que o país conseguiu construir e uma delas é o direito à habitação. Estamos a voltar aos tempos em que as famílias têm de fazer um sacrifício para por os seus filhos na universidade porque não conseguem pagar um quarto", frisou.

+ notícias: País

Portugal proibido de pescar carapau

A frota portuguesa esgotou a quota de pesca de carapau, na zona do Golfo da Biscaia Meridional, ficando estas capturas proibidas a partir de segunda-feira, anunciou esta segunda-feira a Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM).

Campanha em 600 farmácias para utentes doarem o troco das suas compras e ajudarem quem mais precisa

A campanha “Dê troco a quem precisa” arranca esta segunda-feira em cerca de 600 farmácias de todo o país que vão “convidar os utentes” a doar o troco das suas compras para ajudar quem mais precisa a comprar medicamentos.

APAV ajudou oito crianças todos os dias durante os últimos dois anos

Mais de 5.660 crianças e jovens foram apoiados pela Associação Portuguesa de Apoio à Vitima (APAV) nos últimos dois anos, um valor que subiu 18,2% no ano passado, chegando a uma média de oito por dia.