Covid-19: Perdas para turismo mundial atingem quase 273 mil ME até maio - OMT

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Madrid, 28 jul 2020 (Lusa) - A pandemia de covid-19 provocou perdas de 320 mil milhões de dólares (272,8 mil milhões de euros) no turismo mundial, de janeiro a maio, segundo o barómetro publicado hoje pela Organização Mundial do Turismo (OMT).

"É mais do triplo das perdas registadas ao nível de receitas do turismo internacional durante a crise económica mundial de 2009", considerou a organização, que é uma agência das Nações Unidas e tem sede em Madrid.

De janeiro a maio, o número de turistas internacionais caiu 56% em relação ao mesmo período de 2019, o que representa 300 milhões de visitantes a menos.

Apesar da lenta recuperação do turismo, especialmente no hemisfério norte, "o índice de confiança estabelecido pela OMT está em mínimos históricos", segundo um comunicado.

Entre os principais riscos para o setor, a OMT aponta "o ressurgimento do vírus e o risco de novos confinamentos", indicando também a situação na China e nos Estados Unidos, importantes pontos de origem de turistas.

No início de maio, a OMT previa uma queda de 60 a 80% no número de turistas internacionais no ano de 2020, com perdas que podem ascender a um total entre 910 mil milhões e 1,2 bilião de dólares.

A agência receia que "estejam em perigo entre 100 e 120 milhões de empregos diretos no turismo".

EO // EA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Suspeito de ataque em Copenhaga tem antecedentes psiquiátricos

O alegado autor de um tiroteio ocorrido no domingo em Copenhaga, que fez três mortos e quatro feridos graves, tem antecedentes de doença psiquiátrica, indicou hoje a polícia dinamarquesa, afirmando não haver indícios de "um ato terrorista".

Vários mortos em tiroteio na Dinamarca. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Várias pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

Rússia anuncia controlo total da região ucraniana de Lugansk. Ucrânia desmente. 

O ministro da Defesa russo Serguei Shoigu afirmou hoje que as forças russas controlam toda a região ucraniana de Lugansk, no Donbass, depois de conquistada a cidade-chave de Lisichansk, alvo de combates intensos nos últimos dias.