Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Itália registou 11 novas mortes e sobe o número total para 35.123

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Roma, 28 jul 2020 (Lusa) -- A Itália registou 11 mortes com a covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o número total de óbitos para 35.123, no dia em que o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, pediu um prolongamento do estado de emergência.

O boletim da Proteção Civil italiana disse que já se observaram 246.488 casos de contágio com o novo coronavírus, desde o início da pandemia no país, o que representa um aumento de 202 casos desde segunda-feira.

O Governo italiano está determinado a envolver o Parlamento na estratégia de luta contra a pandemia e, hoje, Giuseppe Conte pediu aos deputados que aprovem uma extensão do estado de emergência, que expira em 31 de julho, até 31 de outubro.

O chefe de Governo italiano explicou que o Conselho de Ministros "não quer criar um sentimento injustificado de medo ou de alarme, mas apenas manter as medidas organizacionais efetivas aplicadas até agora", para que Itália continue a ser "um país que os turistas queiram visitar e onde os italianos se sintam seguros".

Conte disse que a "Itália é atualmente um país seguro" e que a curva de transmissão diminuiu acentuadamente desde abril, quando o número de infeções atingiu o pico, mas lembrou que "o vírus continua a circular no país, dando origem a novos surtos, que têm sido rapidamente identificados e controlados".

Segundo a Proteção Civil, nas últimas 24 horas foram curadas 163 pessoas e o número de contágios efetivo é agora de 12.609, com 40 pacientes em cuidados intensivos.

A Lombardia, a região mais afetada, teve 53 casos de novas infeções nas últimas 24 horas, seguida da Campânia, com 29 novos casos de contágio, onde as autoridades estão preocupadas com a chegada de turistas nacionais e estrangeiros, pelo que já fizeram saber que estão agradadas com a extensão do estado de emergência.

O estado de emergência em Itália permite que o Governo mantenha as decisões de restrições sanitárias atuais, que, de outra forma, perderiam o seu efeito, explicou hoje Conte, referindo-se à necessidade de manter a pressão na luta contra a pandemia.

"A monitorização da saúde dos migrantes" e o cumprimento da sua quarantena é uma ferramenta necessária e oportuna para a proteção da saúde pública, explicou o primeiro-ministro.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 654 mil mortos e infetou mais de 16,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

RJP // EL

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

NATO: Exercícios militares programados nos países bálticos começaram hoje

Riga, 16 mai 2022 (Lusa) - A NATO iniciou hoje na Estónia um exercício militar com 15.000 soldados estónios e da Aliança, com o qual abre uma série de manobras na região do Báltico, planeada e agendada antes da invasão russa da Ucrânia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras