Covid-19: Bélgica ultrapassa barreira das 3.000 mortes

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 10 abr 2020 (Lusa) -- A Bélgica ultrapassou nas últimas 24 horas as 3.000 mortes causadas pela covid-19, com mais de 26 mil casos confirmados por testes desde o início da pandemia segundo dados das autoridades federais de saúde.

O número de mortes causadas pela pandemia da covid-19 na Bélgica chegou hoje aos 3.019, anunciou o governo federal, depois de terem sido notificados 496 óbitos nas últimas 24 horas.

Pelo menos 171 dos óbitos ocorreram em casas de repouso na Flandres entre 18 e 31 de março (região norte do país, de língua neerlandesa).

Desde o início da pandemia na Bélgica, em 15 de março, foram confirmados 26.667 casos de covid-19 através de testes, 1.684 nas últimas 24 horas.

Entre 15 de março e 09 de abril, 10.356 pessoas foram internadas em hospitais e 5.568 tiveram alta.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 94 mil.

Dos casos de infeção, mais de 316 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 811 mil infetados e mais de 65 mil mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, contabilizando 18.279 óbitos em 143.626 casos confirmados.

IG // PNG

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Mais de 3800 vítimas mortais no terramoto que abalou a Turquia e a Síria

Pelo menos 3800 mortos e milhares de pessoas ficaram feridas na sequência do sismo que abalou o sul da Turquia e o norte da Síria. Segundo o balanço mais recente o jornal ‘The Guardian’, na Turquia já morreram pelo menos 2379 pessoas e 1200 na Síria.

Política “zero covid” afetou a influência da China na Ásia

A China perdeu influência na Ásia, em 2022, devido ao isolamento a que se submeteu no âmbito da política ‘zero covid’, embora tenha aumentado a sua capacidade militar.

O balão que sobrevoou a América Latina é de origem chinesa

O governo chinês disse esta segunda-feira que o balão avistado sobre a América Latina, e designado pelos Estados Unidos como um dispositivo de “vigilância”, tem origem na China, mas que é de “natureza civil”.