Info

Covid-19: Presidente angolano pede prevenção e foco nas condições mínimas de higienização das mãos

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Luanda, 13 mar 2020 (Lusa) - O líder do MPLA, partido no poder em Angola, apelou hoje à sociedade angolana foco na prevenção do coronavírus, e às instituições com grande movimentação de pessoas para criarem o mínimo de condições para a higienização das mãos.

João Lourenço, que é também Presidente de Angola, apelou às empresas, repartições públicas, estabelecimentos de ensino e outras instituições de grande movimentação de pessoas "a criarem o mínimo de condições para a higiene das mãos e a serem os primeiros a comunicarem as autoridades sanitárias os eventuais casos suspeitos que puderem detetar".

Angola tem até ao presente momento dois centros de quarentena, referiu o líder do MPLA, partido no poder desde a independência do país, em 1975, e "está a levar a cabo uma campanha de educação, para alertar os cidadãos da necessidade de se adotarem novos comportamentos e atitudes sociais para se prevenir contra a possibilidade de se contrair o vírus".

Segundo João Lourenço, Angola está a acompanhar esta ameaça mundial "com atenção e alguma apreensão".

"Angola não tem nenhum caso confirmado positivo, daí a necessidade de trabalharmos mais na prevenção, para evitarmos o quadro que todos gostaríamos de evitar, tendo em conta que a doença não tem por enquanto cura nem vacina", disse.

Com vista a salvaguardar a saúde pública e reduzir ao máximo as probabilidades de propagação da pandemia, prosseguiu o líder do MPLA, cada país deve fazer a sua parte "e, neste sentido, Angola está a tomar medidas de prevenção que se resumem ao controlo sanitário epidemiológico nas entradas de viajantes pelas fronteiras, com particular atenção dos cidadãos provenientes de países de risco elevado, com base nos critérios definidos pela OMS (Organização Mundial de Saúde)".

Angola tem já criadas condições técnicas para a realização do teste localmente, indicou João Lourenço, acrescentando que "a prevenção é a melhor arma de defesa contra este vírus".

À comunicação social, João Lourenço apelou que informe a sociedade, mas também a eduque, "fazendo chegar ao grande público os conselhos e instruções das autoridades sanitárias do país".

Os apelos estenderam-se igualmente aos utilizadores das redes sociais, para que façam "o uso responsável desta importante ferramenta de comunicação, abstendo-se de criar, reproduzir ou disseminar notícias, cuja autoria não seja das autoridades competentes".

"Aos cidadãos em geral, o nosso apelo vai no sentido de se manterem calmos, seguirem as recomendações do Ministério da Saúde e ignorarem quaisquer notícias ou instruções de autores anónimos", salientou.

NME // PJA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Agência Europeia do Medicamento dá parecer sobre vacina Janssen na terça-feira

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) anunciou hoje que dará na terça-feira um parecer sobre a vacina Janssen contra a covid-19, cuja utilização está suspensa nos Estados Unidos e na Europa por existir uma relação com coágulos no sangue.

Bruxelas pediu à EMA reavaliação de vacina da AstraZeneca para coerência na UE

A Comissão Europeia disse hoje que pediu à Agência Europeia do Medicamento (EMA) para rever os dados sobre a vacina da AstraZeneca, para garantir uma "abordagem coerente e unificada" na União Europeia (UE) relativamente ao fármaco.

Dinamarca desiste da vacina da AstraZeneca e Alemanha não a usa nas 2ªas doses

A Dinamarca anunciou hoje que desistiu de usar a vacina para a covid-19 da AstraZeneca devido aos efeitos secundários "raros, mas graves", enquanto a Alemanha decidiu administrar outra vacina nas segundas doses a quem tomou este fármaco na primeira.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Zoom Zoom Z o o m