Jerónimo de Sousa considera "luta justa" protesto contra subconcessão

| Norte
Porto Canal / Agências

Lisboa, 18 dez (Lusa) - O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considerou uma "luta justa" o protesto dos trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), que hoje se manifestam em Lisboa contra a subconcessão daquela unidade.

"[O que me trouxe aqui foi] uma imensa solidariedade para com trabalhadores que defendem o direito ao trabalho e defendem a economia", afirmou Jerónimo de Sousa aos jornalistas no final da Calçada do Combro, por onde o protesto dos trabalhadores dos ENVC passou cerca das 17:00.

Desde as 15:30 que mais de 500 pessoas desfilam desde o Ministério das Finanças em direção à residência oficial do primeiro-ministro, em S. Bento.

Durante o percurso, além do secretário-geral do PCP, juntou-se ao protesto uma delegação da União de Sindicatos de Lisboa, afeta à CGTP-IN. O secretário-geral desta central sindical, Arménio Carlos, está também integrado no cortejo.

Segundo o Bloco de Esquerda, também a sua deputada Mariana Aiveca, participa nesta iniciativa dos trabalhadores dos ENVC.

Empunhando bandeiras e faixas, nas quais se lê "viabilização sim, despedimentos não", os manifestantes vão gritando "estaleiros unidos jamais serão vencidos" e "não queremos dinheiro, queremos o estaleiro".

Com esta manifestação, os trabalhadores pretendem reclamar a suspensão do processo de subconcessão - acompanhado do encerramento da empresa - e a avocação do dossiê pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

"Não há nenhuma decisão definitiva da União Europeia em que seja necessário fechar os ENVC. Até podem continuar a ser estaleiros navais militares de Viana do Castelo [para justificar as ajudas públicas], há possibilidade de os estaleiros continuarem como empresa pública, no setor empresarial do Estado", declarou, à saída para Lisboa, o porta-voz da comissão de trabalhadores.

António Costa reiterou haver alternativas ao encerramento dos ENVC que os trabalhadores pretendem transmitir diretamente a Passos Coelho.

JRS/JLG // ROC

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Siaco fecha portas e deixa uma centena de trabalhadores no desemprego

A fábrica Siaco, que produzia solas e outros componentes para calçado em São João da Madeira, esta segunda-feira, encerrou portas “de surpresa” e sem deixar a documentação de desemprego aos seus mais de 100 trabalhadores, diz o respetivo sindicato.

Ponte de Lima. Homem de 71 anos morre em acidente com motocultivador 

Um homem de 71 anos morreu esta terça-feira, em Ponte de Lima, na sequência de um acidente que envolveu um motocultivador. A sua mulher, de 77 anos, sofreu ferimentos num pé, tendo sido transportada ao hospital de Viana do Castelo.

Mais de 320 mil cigarros apreendidos na Trofa. Introdução fraudulenta no mercado lesa Estado em 54 mil euros

Mais de 320 mil cigarros que se destinavam a ser introduzidos no mercado de forma fraudulenta, prejudicando o Estado em 54 mil euros por falta de pagamento de impostos, foram apreendidos na terça-feira, na Trofa, anunciou esta terça-feira a GNR.