Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Rio justifica candidatura com situação difícil do PSD e por estar livre de outros compromissos

| Política
Porto Canal com Lusa

O antigo autarca do Porto Rui Rio justificou hoje a sua candidatura à liderança do PSD com "a situação particularmente difícil" do partido e por não estar preso a qualquer compromisso.

Na apresentação da sua candidatura em Aveiro, Rui Rio explicou a recusa em disputar a presidência do partido em 2008 e em 2010 por se encontrar, na altura, a cumprir o mandato à frente da Câmara do Porto e com o facto de, então, o PSD viver "momentos de relativa normalidade".

"Hoje a situação é diferente. Hoje, temos de o dizer com frontalidade, o PSD está numa situação particularmente difícil. Uma situação que se não for, desde já, combatida, pode conduzir o partido para um patamar de menor relevância no quadro político nacional", alertou, lembrando que tal já aconteceu em outros países europeus.

Por outro lado, salientou, também não está preso "a qualquer compromisso" e pôde "decidir livremente".

"E, se no tempo próprio, estava com os dois pés no Porto, hoje estou disponível, neste tempo próprio, para estar com os dois pés no PSD e no país", disse, anunciado a sua candidatura às eleições diretas de 13 de janeiro.

+ notícias: Política

Santana Lopes faz fortes críticas a Luís Morais Sarmento

Pedro Santana Lopes, antigo primeiro-ministro e provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, rejeita por completo a hipótese de um bloco central ou de uma coligação com o Partido Socialista. Santana Lopes critica ainda as declarações do seu antigo ministro-adjunto, nas quais Luís Morais Sarmento diz "se for para ficar como está, então votará em António Costa".

Ministro do Trabalho nega conhecimento da gestão da Raríssimas e anuncia inspeção

O ministro do Trabalho e da Segurança Social negou hoje que já tinha conhecimento de denúncias de gestão danosa da associação Raríssimas e anunciou uma ação de inspeção à entidade, a começar nos próximos dias.

António Costa garante que autonomia das escolas não está em risco

António Costa garantiu este sábado que o modelo de descentralização na educação não vai comprometer a autonomia das escolas, algo que a Fenprof receia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS