Jornal Diário Jornal das 13

Estrada Nacional 2 cortada devido a incêndio florestal de grandes proporções em Chaves

Estrada Nacional 2 cortada devido a incêndio florestal de grandes proporções em Chaves
| Norte
Porto Canal com lusa

A Estrada Nacional (EN) 2, que liga Vidago e Sabrosa, está cortada nos dois sentidos devido a um incêndio florestal de grandes proporções que está a deflagrar desde as 14h14 desta quarta-feira, em Oura, Chaves, apurou o Porto Canal com fonte da Proteção Civil.

Atualizado 02-08-2017 18:11

O Porto Canal sabe que o incêndio se encontra com duas frentes ativas, uma entre Vila Verde e Vila do Conde e outra perto de Sabrosa.

O incêndio que deflagrou perto da aldeia de Oura, no concelho de Chaves, e propagou-se para o concelho de Vila Pouca de Aguiar, tendo chegado à aldeia de Vila do Conde, onde rodeou algumas casas.

Sete meios aéreos, quatro deles pesados, atuaram junto a esta aldeia, ajudando a controlar a situação nesta frente.

O local do incêndio é composto por pinhal e mato e de declive acentuado, mas fonte da Proteção Civil referiu à agência Lusa que o combate está a evoluir favoravelmente.

No local estão já 286 operacionais com 79 viaturas e ainda 12 meios aéreos.

+ notícias: Norte

"Escaravelho" do castanheiro ameaça produção de castanha em freguesia de Valpaços

Os produtores de castanha continuam preocupados com as pragas nos castanheiros. Na zona de Carrazedo de Montenegro, em Valpaços, que é conhecida como a capital da castanha judia, as atenções centram-se numa praga conhecida como "escaravelho" do castanheiro que seca a árvore e destrói a produção.

Rui Moreira diz que urgente realojar restantes moradores do bairro do Aleixo

Rui Moreira explicou na reunião diz que a decisão de urgência de realojar todos os moradores das três restantes torres do bairro do Aleixo deveu-se à queda inesperada de partes das fachadas dos edifícios. O autarca do Porto adiantou no entanto que pelo menos para já não pretende extinguir o fundo criado em 2009 para resolver o problema do bairro.

Escolas do Norte do país encerradas devido a falta de funcionários

Uma escola em Braga e outra na Póvoa de Varzim não abriram, esta segunda-feira, devido a falta de funcionários. A carência de auxiliares é um dos problemas que está a marcar o arranque do ano letivo, bem como os protestos dos professores e pelos atrasos na entrega dos manuais escolares.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.