Info

Empresários acreditam que Túnel do Marão abre portas a novos fluxos turísticos

| Norte
Porto Canal com Lusa

Vila Real, 19 abr (Lusa) -- A Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR) defendeu hoje que o Túnel do Marão, incluído na autoestrada entre Amarante e Vila Real, permite abrir portas a novos fluxos turísticos e mercados.

A Autoestrada do Marão possui 26 quilómetros, começou a ser construída em 2009 e, depois de três paragens, está a poucos dias de ser inaugurada, embora a data oficial ainda não tenha sido anunciada.

O secretário-geral da AETUR, Alberto Tapada, acredita que esta nova via pode ajudar a abrir portas a novos fluxos turísticos e a novos mercados para o Douro e Trás-os-Montes.

"A questão da mobilidade é essencial, o conforto, o termos a garantia de chegarmos do Porto ao Douro num prazo de tempo mais ou menos estipulado, porque isso é indispensável para o desenho dos pacotes turísticos que se fazem", afirmou o responsável à agência Lusa.

Alberto Tapada referiu que a abertura do Túnel do Marão vai permitir fazer um "reajustamento de mercado, da articulação com os operadores que trabalham no Porto e fazer com que o Douro e Trás-os-Montes possam efetivamente beneficiar deste aspeto da proximidade".

Esta nova autoestrada vai encurtar as distâncias, aproximando a região do aeroporto Sá Carneiro e do porto de Leixões.

"Podemos disputar um outro mercado importantíssimo que é o mercado dos cruzeiros transatlânticos, que a bordo já selecionam que experiência vão ter no cais onde vão acostar", salientou.

Referiu ainda que promoção deste território pode ser feita "nos mercados emissores", isto é, acrescentou, "antes de chegarem cá os turistas podem escolher onde e como querem ter esta experiência".

"Podemos ganhar tempo, ser mais fidedignos nos compromissos temporais que se estabelecem, porque é sempre um fator dissuasor, ninguém arrisca porque não sabe se há neve na serra, se há um acidente, enfim, esses imprevistos com que nos confrontamos no trajeto tradicional do Marão", frisou.

O Itinerário Principal 4 (IP4), que atravessa a serra do Marão, é uma via sinuosa, que tem sido palco para vários acidentes ao longo dos anos, e muito vulnerável às condições do tempo, como neve, gelo ou nevoeiro.

Para Alberto Tapada, o próprio túnel, que rasga a serra do Marão ao longo de quase seis quilómetros, é uma "obra de engenharia fantástica" que se poderá transformar também num motivo de atração turística.

Com esta nova via fica concluída a ligação Porto, Vila Real e Bragança por autoestrada (A4).

A Autoestrada do Marão está construída cerca de 200 metros abaixo do Itinerário Principal 4 (IP4), precisamente na zona da serra onde é mais usual nevar e concentrar-se o nevoeiro e, por isso mesmo, apresenta-se como uma alternativa mais segura e rápida, permitindo encurtar a viagem para o litoral em cerca de 20 minutos.

Percorrer esta nova via vai custar entre o 1,95 (veículos classe 1) aos 4,90 (classe 4).

PLI // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Funcionários da Altice contestam o despedimento "imoral e desumano" no Porto

Os funcionários da Altice contestam, esta quinta-feira, em frente à sede da empresa no Porto, o despedimento "imoral e desumano" que irá acontecer até 31 de outubro. Em declarações ao Porto Canal, Jorge Mendes, um dos trabalhadores envolvidos neste despedimento, disse que "não tem sido uma uma situação fácil" e mostra-se "com expectativas que esta situação se possa reverter até ao dia 31  de outubro".  

Urgências de Vila Nova de Gaia já se encontram normalizadas

Durante a tarde da passada quarta-feira, as urgência do Hospital Eduardo Santos Silva, em Vila Nova de Gaia, registaram um fluxo anormal de pessoas, que segundo o Presidente do Conselho de Administração chegou a ser "quatro vezes superior" à afluência normal.

Secção Regional do Norte salienta "a falta de liderança e estratégia" do SNS

O Presidente da Secção Regional do Norte, António Araújo, falou na manhã desta quinta-feira ao Porto Canal e, salientou "a falta de liderança e estratégia" do serviço nacional de saúde. António Araújo acrescentou ainda que "há a necessidade de encontrar alguém com ideias concretas sobre o caminho a tomar para reformar o nosso serviço nacional de saúde".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.