Edgar Silva acusa Cavaco Silva de assumir "papel de contra poder"

| Política
Porto Canal com Lusa

Porto, 23 nov (Lusa) - O candidato do PCP às eleições presidenciais, Edgar Silva, acusou hoje Cavaco Silva de assumir um "papel de contra poder" à revelia da Constituição e "degradar" a vida democrática ao fazer exigência ao líder socialista, António Costa.

"O Presidente da República tem de respeitar a vontade do parlamento e dos parlamentares porque sabe e, conhece bem, que foram assumidas razões e condições para a viabilização de uma solução de governo, a não ser que o Presidente da República se queira aproximar de algo que não estaria longe de uma tentativa de golpe de Estado, e não pode ser, isso seria inaceitável e impensável, seria a subversão das regras básicas fundamentais estruturantes do Estado Democrático", disse no Porto, à margem de um encontro com artistas da Cooperativa Árvore.

Edgar Silva realçou que Cavaco Silva está a "degradar" o normal funcionamento das instituições democráticas, assumindo funções que a Constituição Portuguesa não lhe confere.

O Presidente da República pediu hoje ao secretário-geral do PS que desenvolva "esforços tendo em vista apresentar uma solução governativa estável, duradoura e credível" e solicitou a clarificação de questões omissas nos acordos subscritos pela esquerda parlamentar.

SYF // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Operação Influencer. Costa já foi ouvido pelo Ministério Público e não foi constituido arguido

O ex-primeiro ministro António Costa foi ouvido esta sexta-feira pelo Ministério Público no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) sem que tenha sido constituído arguido no processo Operação Influencer, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

Parlamento discute projeto para redução do IVA da eletricidade

O PS agendou para esta sexta-feira o debate de um projeto para combater a pobreza energética reforçando os consumos de eletricidade com taxa reduzida de IVA, que deverá ser viabilizado com os votos do Chega e da IL.

Governo volta a sentar-se à mesa com profissionais de saúde esta sexta-feira

Os sindicatos dos médicos, enfermeiros e farmacêuticos voltam esta sexta-feira a sentar-se à mesa com a ministra da Saúde para uma segunda reunião com a expectativa de que as negociações sobre a carreira possam avançar de forma rápida.