Juiz desembargador critica prisão preventiva de Sócrates

Juiz desembargador critica prisão preventiva de Sócrates
| País
Porto Canal (DYC)

O juiz desembargador José Reis critica a prisão preventiva de José Sócrates e diz que o processo não pode ser declarado de especial complexidade sem factos.

Foram precisas três reuniões e a intervenção da presidente da 3ª secção criminal do Tribunal da Relação de Lisboa, para o tribunal confirmar a declaração de especial complexidade do processo Operação Marquês, mantendo José Sócrates em prisão preventiva.

O recurso foi interposto pelo juiz desembargador José Reis, que considerou que a declaração não poderia ser feita sem que, entre outros motivos, houvesse uma imputação de factos, de acordo com o que apurou o Diário de Notícias junto de fonte judicial. O juiz defende que, assim, o ex-primeiro ministro até deveria ser libertado.

A tese não vigorou por falta de acordo com a juíza Laura Maurício e para desempatar foi chamada a presidente da 3ª secção criminal, a juíza desembargadora Teresa Féria, que votou contra o recurso.

O juiz José Reis é o primeiro juiz a ir contra a interpretação de todos os tribunais que têm analisado o processo que envolve José Sócrates.

+ notícias: País

Realizador do Porto vence melhor filme nos prémios do Cinema Português

Na 13.ª edição dos Sophia, João Canijo recebeu o prémio de Melhor Realização e conquistou ainda o de Melhor Filme por “Mal Viver”.

Portugal é o 10º melhor país para a comunidade LGBTQIA+

Portugal está de regresso ao top 10 do ranking europeu dos direitos das pessoas LGBTQIA+, naquela que é uma classificação da ILGA Europe que em 2022 colocava o país em 11º lugar. Desde 2016 que o primeiro lugar é ocupado por Malta, seguida de Islândia e Bélgica.

Portugal esgota na terça-feira os recursos deste ano e começa a usar os de 2025

Portugal esgota na terça-feira os recursos disponíveis para este ano, passando a consumir recursos que só deviam ser usados em 2025, indicam dados da organização internacional “Global Footprint Network”.