Há um movimento no Porto que reclama mais árvores nas caldeiras vazias da cidade

Há um movimento no Porto que reclama mais árvores nas caldeiras vazias da cidade
| Norte
Maria Abrantes

Existe uma ação, a decorrer na cidade do Porto, que insta à plantação de árvores na zona urbana do município.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

 

A ação de sensibilização, inspirada no movimento que teve origem em Coimbra, é levada a cabo pela Campo Aberto e pelo Grupo Garra, duas associações que promovem o exercício da cidadania no domínio do ambiente.

À semelhança do que aconteceu na ‘cidade dos estudantes’, membros das duas associações identificaram várias caldeiras vazias, onde seria possível plantar (de novo) uma árvore. Ao todo, foram colocadas 40 tabuletas, tendo sido identificadas mais de 70 caldeiras que, em tempos, já foram casa de uma ou mais árvores.

“Temos de tratar mais das árvores. Temos de arborizar mais a cidade. E a Câmara (Municipal), aparentemente, está interessada nisso. É preciso é pôr em prática”, diz Pedro Pardinha, membro do grupo GARRA que, em conjunto com a Associação Campo Aberto, promove a ação pela cidade e apela à urgência de colocar em prática o plano de arborização do município, apresentado em maio do ano passado.

“Há cidades que já estão a tomar medidas a sério nesse sentido, como Barcelona ou Paris, e nós não podemos ficar só por intenções. Temos que pôr árvores nos sítios. E é obrigação, entendemos nós, deste Executivo, que fez já este investimento, começar a pôr plantas, pôr árvores, nas ruas”, acrescenta.

Margarida Mendes, membro da direção da Campo Aberto, salienta que a replantação que reclamam “não necessita de um esforço, nem de um investimento assim tão grande. Ao longo de décadas, o coberto vegetal da cidade tem diminuído drasticamente, numa altura em que aumentou drasticamente a circulação automóvel. Portanto, é realmente importante que esta tendência se inverta. Ou seja, que comece a haver um maior coberto vegetal para o benefício de todos”.

Através de um código QR, instalado nas tabuletas que empenham a frase “Quero ser uma Árvore”, é possível aceder ao comunicado promovido por ambas as associações, assim como a toda a informação relativa ao movimento.

As tabuletas, reutilizadas da ação de Coimbra serão, entretanto retiradas, para seguirem para outra ação, numa nova cidade do país com carência de arvoredo.

+ notícias: Norte

Obra da Linha Rubi do metro corta rotunda Edgar Cardoso em Gaia durante dois anos

As obras da futura Linha Rubi (H) do Metro do Porto vão arrancar "em força" em Vila Nova de Gaia a partir de sexta-feira, cortando a rotunda Edgar Cardoso durante dois anos, revelou a transportadora esta segunda-feira.

Maior fabricante mundial de torres eólicas emprega mais de 1200 pessoas em Aveiro 

A empresa sul-coreana CS Wind vai inaugurar no dia 22 de maio uma nova unidade de produção na zona portuária de Aveiro. A nova infraestrutura do líder mundial de torres eólicas representou um investimento de 120 milhões de euros.

Queda da Farfetch não compromete construção da “Nova Califórnia” em Matosinhos

A Castro Group, empresa responsável pela criação do Fuse Valley, em Matosinhos, num investimento conjunto de 200 milhões de euros com a Farfetch, avança que o projeto está em fase final do processo de licenciamento do loteamento, aguardando aprovação “a qualquer momento”.