Novo hotel vai nascer em antigo edifício da U. Porto. Demolições arrancaram esta terça-feira

Novo hotel vai nascer em antigo edifício da U. Porto. Demolições arrancaram esta terça-feira
Porto Canal
| Porto
Ana Francisca Gomes

O antigo Colégio Almeida Garrett, entre a Praça Coronel Pacheco e a rua do Mirante, no Porto, começou na manhã desta terça-feira a ser demolido, seis anos após o edifício ser vendido pela Universidade do Porto à empresa Real Douro. No terreno com uma área total de 8.520 metros vai nascer um novo hotel de 4 estrelas. Neste momento, a cidade do Porto tem 98 hotéis em fase de licenciamento, que se vão somar aos 148 hotéis atualmente em funcionamento.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

Em resposta ao Porto Canal, a Câmara Municipal do Porto esclareceu que “a operação urbanística em apreço reporta-se à demolição, alteração e ampliação de um conjunto de seis edificações existentes, promovendo ainda alterações significativas nos arranjos exteriores”.

O promotor da obra é a empresa Porto Praça Coronel Pacheco, Unipessoal Lda, com sede na rua Castilho, em Lisboa, e está ligada à imobiliária francesa Legendre Immobilier e ao empresário Jean-Baptiste Guy Henri Martin.

Segundo a autarquia, ali nascerá um hotel de 4 estrelas, com 190 quartos.

Mas os planos anunciados para o espaço já foram diferentes. Em 2020, a agência Lusa avançou que a Qbic Hotels International Management apresentou um Pedido de Informação Prévia (PIP) “para instalação de uma unidade hoteleira com três estrelas com 240 quartos e habitação no edifício a reabilitar na frente urbana da travessa de Cedofeita, com oito fogos de tipologia T0”. Mas já antes, em 2018, tinha sido anunciado que o edifício seria transformado num edifício de habitação composto por estúdios destinados a jovens e a estudantes.

O edifício foi alienado pela Universidade do Porto em hasta pública no ano de 2017, tendo, na altura, ficado o imóvel na posse da Real Douro, Promoção e Gestão Imobiliária por 6,1 milhões de euros.

Manuel Pizarro, então vereador eleito pelo PS na Câmara do Porto, defendeu que a autarquia deveria comprar o antigo colégio. À data, a autarquia adiantou que não poderia, “mesmo querendo”, exercer o direito de preferência sobre o antigo colégio Almeida Garrett, por não se tratar de edifício protegido ou sequer abrangido por uma Operação de Reabilitação Urbana.

+ notícias: Porto

Incêndio em colégio no Porto já está extinto

O incêndio que deflagrou ao início da tarde de deste domingo no Colégio Flori, no Porto, "já está extinto" e em fase de rescaldo e ventilação, adiantaram ao Porto Canal as autoridades.

Last Folio: as duras memórias do Holocausto 

O Museu e Igreja da Misericórdia do Porto acolhem a exposição internacional LAST FOLIO acompanhada por um documentário, que mostra as memórias do Holocausto. A exposição do fotógrafo Yuri Dojc e da cineasta Katya Krausova, pode ser visitada até novembro.

Nova Linha do Metro do Porto avança. Veja aqui as primeiras imagens 

As obras da nova Linha do Metro do Porto, Linha Rosa (G), que assegurará a ligação entre São Bento e a Rotunda da Boavista já avançaram. Esta extensão terá 3 km e 4 estações subterrâneas (duas adjacentes às já existentes São Bento e Casa da Música).