Universidade do Porto lucra 4,6 MEuro graças a venda de ex-Colégio Almeida Garrett

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 01 jun 2019 (Lusa) -- O lucro da Universidade do Porto (U.Porto) foi de 4,6 milhões de euros em 2018 e disparou face aos 100 mil euros de 2017, com a venda do ex-Colégio Almeida Garrett, revela o Relatório de Contas.

"Em 2018, os resultados da U.Porto evidenciaram um comportamento significativamente favorável face ao período anterior. O resultado líquido do período [2018] ascendeu a 4.624 milhares de euros, tendo aumentado 4.561 milhares de euros", lê-se no Relatório de Atividades e Contas da Universidade do Porto, a que a Lusa teve hoje acesso.

A principal razão apontada no relatório para o resultado líquido de 4,6 MEuro é o "contributo" da Reitoria, uma das "entidades constitutivas para o resultado líquido da U.Porto", que obteve um "resultado líquido de 4,7 milhões de euros" no mesmo ano.

"Importa salientar que o resultado da Reitoria inclui o rendimento de 2,5 milhões de euros referentes à mais-valia obtida com a alienação do edifício do antigo Ex-Colégio Almeida Garrett", refere o documento.

A 15 de novembro de 2017, a U.Porto prometeu, em comunicado de imprensa enviado à Lusa na altura, que a venda do antigo Colégio Almeida Garrett por 6,1 milhões de euros seria integralmente reinvestida na reabilitação de faculdades, residências estudantis, cantinas escolares e estruturas desportivas.

"A receita obtida com a alienação do complexo de edifícios conhecido como antigo Colégio Almeida Garrett será integralmente reinvestida na reabilitação de faculdades, residências estudantis, cantinas escolares e estruturas desportivas da U.Porto, com o propósito de garantir melhores condições de ensino, investigação e apoio social aos seus estudantes, docentes e investigadores".

O antigo Colégio Almeida Garrett, localizado na Baixa Porto, junto à Praça Coronel Pacheco, está inserido num terreno com uma área total de 8.520 metros quadrados, espaço equivalente a oito campos de futebol, e foi vendido em hasta pública à Real Douro - Promoção e Gestão Imobiliária, com sede no Marco de Canaveses.

O rendimento de "1,5 milhões de euros relativo à dotação do Orçamento de Estado afeta à retenção para recuperação e conservação do património e cujos benefícios revertem a favor das universidades" é outra das razões para justificar os 4,7 MEuro de lucro obtido pela Reitoria em 2018, refere o mesmo documento.

A Faculdade de Direito da Universidade do Porto (FDUP) foi a segunda instituição -- depois da Reitoria -- a dar o melhor contributo à U.Porto, pois obteve um resultado líquido de 601 mil euros.

Outros rendimentos que contribuiram para o lucro da U.Porto estão inseridos na rúbrica impostos e taxas, que se refere essencialmente a propinas (1,9 MEuro), dotação do Estado (1,48 milhões de euros) e prestações de serviços, designadamente estudos, pareceres, formações, projetos, (1,1 milões de euros)

No Relatório de Atividades e Contas da U.Porto indica, na parte dos recursos humanos, que houve mais contratação de "doutorados e contratações nos termos de regime geral" em 2018 face a 2017.

"O pessoal docente e investigador cresceu cerca de 4% face a 2017, fixando-se em "1.853", lê-se no documento.

Em 2016 o lucro da U.Porto foi de "876 mil euros", diminuindo mais de metade face a 2015, ano em que registou um resultado líquido de mais de dois milhões. Em 2014 o lucro foi de 5,5 milhões.

Em anos anteriores os lucros da U.Porto atingiram 5,8 milhões de euros (2012), quatro milhões (2013) e 23,3 milhões (2011).

Em 2011, o lucro da U.Porto cifrou-se no mais alto dos últimos sete anos, com 23,3 milhões de euros, aumentando o resultado líquido em 143% face a 2010.

A principal razão justificava-se, na altura, com a "redução de custos provenientes do subsídio de férias não pago" aos funcionários da U.Porto, equivalente a sete milhões de euros.

Em 2010, a U.Porto registou um resultado líquido na ordem dos 9,6 milhões.

O resultado líquido é o lucro que a empresa apresenta num dado período, ou seja, aquilo que resta da sua receita, depois de considerados todos os custos do exercício.

CCM // PJA

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

“Ato fora da lei”. Homem atravessa o Rio Douro numa corda perante desconhecimento das autoridades

Um homem foi filmado, durante a tarde deste sábado, a atravessar o Rio Douro num cabo que liga a margem de Vila Nova de Gaia ao Porto. Contactada pelo Porto Canal, a nona esquadra da Polícia de Segurança Pública (PSP) do Porto assegurou, inicialmente, tratar-se este de um evento que decorre durante o fim-de-semana, um cenário refutado momentos depois.

Golfinho ferido com gravidade resgatado na Ria de Aveiro pela GNR

Um golfinho foi resgatado das pedras do molhe do Norte na Barra de Aveiro, no dia 9 de abril, por uma Unidade de Controlo Costeiro e de Fronteiras (UCCF) da Guarda Nacional Republicana.

Suspensas buscas do jovem desaparecido no mar da praia da Costa Nova 

AS buscas do jovem de 19 anos que desapareceu este domingo no mar da praia da Costa Nova, em Ílhavo (Aveiro), vão ser suspensas ao final do dia, anunciou a Autoridade Marítima Nacional.