Junta de Sacavém preocupada com possível aumento da especulação imobiliária devido à JMJ

Junta de Sacavém preocupada com possível aumento da especulação imobiliária devido à JMJ
| País
Porto Canal/Agências

O autarca de Sacavém, no concelho de Loures, está receoso que a Jornada Mundial da Juventude sirva de pretexto para aumentar a especulação imobiliária e vai disponibilizar apoio jurídico aos arrendatários que estão a terminar o contrato de arrendamento.

A União de Freguesias de Sacavém e Prior Velho, no concelho de Loures (distrito de Lisboa) situa-se a menos de um quilómetro do Parque Tejo-Trancão, local onde decorrerão as cerimónias principais da Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

A seis meses da realização do evento, o presidente da União de Freguesias de Sacavém e Prior Velho, Carlos Gonçalves (PS), disse à agência Lusa que as expectativas “são altas”, mas manifestou-se apreensivo com algumas questões, nomeadamente com a possibilidade de aumentar a especulação imobiliária na zona e com a atual falta de acessibilidades.

“Uma questão que me preocupa muito é a questão imobiliária, que vai ser criada no âmbito e à volta disto tudo [JMJ] e que já está a aparecer. Vamos ter aqui o cuidado de acompanhar as pessoas que tenham contratos de arrendamento para fechar. Que seja fechado no âmbito do senhorio não contar com a JMJ, mas sim pelas pessoas que residem lá”, apontou o autarca.

Carlos Gonçalves referiu que a junta de freguesia vai disponibilizar apoio jurídico às eventuais vítimas da especulação imobiliária, adiantando que já chegou, pelo menos, um pedido de ajuda, de uma pessoa reformada.

“Temos uma situação em que já entrámos em contacto com o senhorio. Ele garante que não é uma especulação derivado da Jornada. Ele está disponível em renovar o contrato com a pessoa em questão, mas com um valor absurdo. Aquilo que eu lhe tenho dito é que não tenha em consideração a especulação imobiliária que existe em toda a área metropolitana de Lisboa, mas sim os rendimentos que a pessoa apresenta. É o mais justo”, observou.

Manifestando-se “bastante apreensivo” com o possível aumento destas situações, Carlos Gonçalves explicou que os serviços jurídicos da autarquia vão analisar as questões da perspetiva legal e da sensibilização dos senhorios.

“Estamos aqui a trabalhar como mediadores e vamos continuar a fazê-lo. Nota-se que já existem aqui umas movimentações que não existiam há quinze dias e que agora começaram a surgir”, disse.

A questão das acessibilidades é outra matéria que preocupa o autarca, que defende a necessidade de serem criadas alternativas.

“É público que já temos aqui nas horas de ponta dificuldades nos acessos. Todos os dias é caótico e existem muitos constrangimentos. O que eu sei é que a Câmara de Loures vai fazer um levantamento das alternativas, pois será necessário reforçar os acessos”, defendeu.

Relativamente aos impactos económicos da realização da JMJ na autarquia, Carlos Gonçalves considerou “muito cedo” para ter uma estimativa, mas disse acreditar que dará “um balão de oxigénio” aos comerciantes.

+ notícias: País

Regionalização: 50 anos a adiar Portugal

A Regionalização começou a fazer parte da agenda política logo após o 25 de Abril de 1974. O processo, apontado como “chave” para o desenvolvimento do país, já estava previsto na primeira versão da lei fundamental que em 1976 a Assembleia Constituinte aprovou, contudo, quase 48 anos depois, a ambição permanece no papel. A dois meses do 50.º aniversário do 25 de Abril, esta é a forma mais adiada e que mais adiou Portugal.

Não consegue ir às urnas no dia 10? Saiba como votar antecipadamente

Os eleitores recenseados em Portugal podem inscrever-se entre este domingo e quinta-feira para votar antecipadamente em mobilidade, num município à sua escolha, uma semana antes das eleições legislativas de 10 de março.

Equipa portuguesa que se sagrou campeã do mundo em atletismo 'indoor' para deficiência intelectual é felicitada por Marcelo

O Presidente da República felicitou a equipa portuguesa que no sábado se sagrou campeã do mundo de atletismo pista coberta da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (VIRTUS).