Novas regras de acesso ao ensino superior com novas alterações a partir de 2024

Novas regras de acesso ao ensino superior com novas alterações a partir de 2024
| País
Porto Canal

Os exames nacionais vão passar a ser requisito necessário para o acesso ao ensino superior e deixarão de ser obrigatórios para a conclusão do ensino secundário.

Segundo a notícia avançada pelo ‘Jornal de Notícias’, o Governo e parceiros do setor estão a negociar o novo modelo de acesso ao ensino superior, que deverá entrar em vigor já no início do próximo ano letivo e, ao que tudo indica, deverá incluir três exames nacionais, um deles a Português.

De acordo com a informação avançada na manhã desta quinta-feira, as notas do secundário que até agora tinham um peso de 50% para o acesso ao ensino superior, passarão a ter um mínino de 35%. Dessa forma, os exames nacionais contam com mais peso e contribuem para evitar a disparidade de notas que se tem verificado entre os estabelecimentos de ensino públicos e privados.

Neste novo modelo que ainda se encontra em estudo, o número de provas para prosseguir os estudos deverá ser de três, sendo que uma delas é Português. As regras deverão ser conhecidas ainda este mês.

Recorde-se que nos anos anteriores à pandemia, era obrigatória a realização de quatro exames nacionais.

+ notícias: País

Vinte e quatro vítimas de abuso querem indemnização da Igreja Católica

O grupo Vita recebeu até ao momento 24 pedidos de indemnização financeira, por danos sofridos, de vítimas de abuso sexual no seio da Igreja Católica em Portugal, iniciando na terça-feira um roteiro pelas dioceses do país, foi este domingo anunciado.

FC Porto vai ter jogo difícil frente a Belenenses moralizado afirma Paulo Fonseca

O treinador do FC Porto, Paulo Fonseca, disse hoje que espera um jogo difícil em casa do Belenenses, para a 9.ª jornada da Liga de futebol, dado que clube "vem de uma série de resultados positivos".

Proteção Civil desconhece outras vítimas fora da lista das 64 de acordo com os critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse hoje desconhecer a existência de qualquer vítima, além das 64 confirmadas pelas autoridades, que encaixe nos critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro.