Info

Covid-19: Mais de 2,8 milhões de mortos no mundo desde início da pandemia

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Paris, 31 mar 2021 (Lusa) -- A pandemia de covid-19 já causou pelo menos 2.805.004 mortos no mundo desde que o novo coronavírus foi detetado no final de 2019 na China, indica hoje o balanço diário realizado pela agência France-Presse (AFP).

Em termos globais, mais de 128.173.020 casos de infeção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) foram oficialmente diagnosticados em todo o mundo, de acordo com os dados reunidos pela agência noticiosa francesa.

Nas últimas 24 horas, registaram-se mais 11.912 óbitos e 611.587 novos casos da doença covid-19 em todo o mundo.

Valores que representam um aumento face aos números relativos a segunda-feira (e divulgados na terça-feira pela agência francesa), dia em que foram recenseadas 7.501 mortes e 459.625 novas infeções à escala mundial.

A grande maioria dos pacientes recupera da doença, mas uma parte destas pessoas ainda relatam sentir sintomas associados durante semanas ou mesmo até meses, segundo a AFP.

A agência francesa esclarece que estes números estão fundamentados nos balanços fornecidos diariamente pelas autoridades sanitárias de cada país e excluem as revisões realizadas posteriormente por organismos de estatística, como ocorre na Rússia, Espanha e no Reino Unido.

Os países que registaram mais mortes nas últimas 24 horas foram, e de acordo com os respetivos balanços nacionais, o Brasil com 3.780 óbitos, os Estados Unidos da América (1.038) e o México (807).

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afetado a nível global, tanto em número de mortos como de casos, com um total de 550.998 mortes entre 30.393.702 casos recenseados, segundo a contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, a lista dos países mais afetados em termos globais mantém-se sem alterações: Brasil com 317.646 mortos e 12.658.109 casos, México com 202.633 mortos (2.232.910 casos), Índia com 162.468 mortos (12.149.335 casos) e o Reino Unido com 126.670 mortos (4.341.736 casos).

Ainda entre os países mais afetados, e segundo a análise da AFP, a República Checa é atualmente aquele que conta com mais mortos em relação à sua população, com 247 óbitos por cada 100.000 habitantes, seguido por outros quatro países também europeus: Hungria (212), Montenegro (200), Bósnia (199) e Bélgica (198).

Por regiões do mundo, a Europa totalizava até hoje às 10:00 TMG (11:00 em Lisboa) 953.861 mortes em 43.566.193 casos de infeção confirmados, a América Latina e as Caraíbas 778.296 mortes (24.684.869 casos), os Estados Unidos e o Canadá 573.919 mortes (31.368.723 casos), a Ásia 271.692 mortes (17.824.180 casos), o Médio Oriente 113.740 mortes (6.486.902 casos), a África 112.503 mortes (4.205.005 casos) e a Oceânia 993 mortes (37.154 casos).

Desde o início da pandemia, o número de testes de diagnóstico realizados aumentou significativamente e as técnicas de despistagem e rastreio melhoraram, levando a um aumento das infeções registadas e comunicadas.

No entanto, de acordo com a AFP, o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do real número total de infeções, com uma proporção significativa de casos menos graves ou assintomáticos a não serem recenseados.

Este balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Devido a correções feitas pelas autoridades ou a notificações tardias, o aumento dos números diários pode não corresponder exatamente aos dados publicados no dia anterior, segundo referiu a AFP.

SCA // ANP

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

AstraZeneca admite que tratamento com anticorpos não provou eficácia

A farmacêutica AstraZeneca admitiu hoje um retrocesso no desenvolvimento de um tratamento com anticorpos para a covid-19, uma vez que não ficou provada a sua eficácia nos ensaios clínicos em pessoas que foram expostas ao vírus.

Covid-19: Cerca de 365 mil adolescentes já foram vacinados em França

Paris, 22 jun 2021 (Lusa) - A vacinação para os jovens entre os 12 e os 17 anos abriu-se há cerca de duas semanas e cerca de 365 mil adolescentes receberam a primeira dose, quando as restrições de horários de confinamento em casa terminaram.

Deputado nega influenciar Governo e admite erros de previsões sobre pandemia no Brasil

São Paulo, 22 jun 2021 (Lusa) -- O deputado Osmar Terra, apontado como membro de um suposto 'gabinete paralelo' que aconselhava o Presidente do Brasil em políticas e medicamentos sem eficácia contra a covid-19, negou influenciar o governante, admitindo que errou em previsões sobre a pandemia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS