Portugal com 11.721 novos casos e 275 mortes por Covid-19 em 24 horas, novo máximo

Portugal com 11.721 novos casos e 275 mortes por Covid-19 em 24 horas, novo máximo
| País
Porto Canal com Lusa

Portugal registou hoje 275 mortes relacionadas com a covid-19, o maior número de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia, e 11.721 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Atualizado 24-01-2021 15:01

O boletim epidemiológico de hoje revela também que estão internadas 6.117 pessoas, mais 195 do que no sábado, das quais 742 em unidades de cuidados intensivos (mais 22 nas últimas 24 horas).

Ao dia de hoje, contabilizam-se 10.469 óbitos desde o início da pandemia, em março do ano passado.

Estão hoje ativos 169.230, um aumento de 6.279 casos nas últimas 24 horas.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 636.190 infeções com o coronavírus SARS-Cov-2.

As autoridades de saúde têm em vigilância 210.664 contactos, mais 4.432 relativamente ao dia anterior.

O boletim regista ainda que mais 5.167 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 456.491 o número de recuperados desde o início da pandemia.

Relativamente às 275 mortes registadas nas últimas 24 horas, 125 ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, 57 na região Norte, 54 na região Centro, 30 no Alentejo, oito no Algarve e uma na Madeira. Não houve registo de mortes na região autónoma dos Açores.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo – que representa mais de um terço das novas infeções e quase metade dos óbitos – foram notificadas 4.167 novas infeções, contabilizando-se até agora 218.997 casos e 3.873 mortes.

A região Norte passou a ocupar a segunda posição em número de mortos, ultrapassando a região Centro.

A região Norte registou mais 4.188 novas infeções nas últimas 24 horas e, desde o início da pandemia, já contabilizou 284.344 casos e 4.077 mortes.

Na região Centro, registaram-se mais 2.219 casos, totalizando 89.314 infeções e 1.765 mortos.

No Alentejo, foram assinalados mais 623 casos, totalizando 21.995 infeções e 535 mortos desde o início da pandemia.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 424 novos casos, somando 15.065 infeções e 165 mortos.

A Região Autónoma da Madeira registou 51 novos casos, contabilizando 3.246 infeções e 32 mortes por covid-19.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 49 novos casos nas últimas 24 horas, somando 3.229 infeções e 22 mortos.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções (mais elevado entre os 40 e os 49).

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 286.864 homens e 349.132 mulheres, referem os dados da DGS, segundo os quais há 194 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 5.453 eram homens e 5.016 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguindo-se a faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

A pandemia do novo coronavírus, detetado pela primeira vez no final de dezembro de 2019, na cidade chinesa de Wuhan, matou pelo menos 2.121.070 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias AFP, a partir de fontes oficiais, até às 11:00.

+ notícias: País

Confusão na PSP sobre uso de armas obriga diretor nacional a esclarecer regras

Está a circular nas redes sociais um email supostamente da Divisão de Investigação Criminal do Comando Metropolitano de Lisboa que proíbe os agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) de utilizarem armas de fogo ou retirá-las do coldre em situações de desordem pública. A notícia avançada pelo 'Observador' refere que ainda no mesmo email, os agentes à civil também não podem intervir em episódios semelhantes. 

TAP diz que renovação da frota automóvel permite poupar anualmente 630 mil euros

A TAP defende que a renovação da frota automóvel para a administração e gestores permite uma poupança de 630 mil euros anualmente, justificando que a decisão foi assente neste racional ao mesmo tempo que cumpre os contratos.

5 de Outubro. Marcelo Rebelo de Sousa defende que "democracia é uma missão coletiva"

O Presidente da República defendeu esta quarta-feira que fazer avançar a democracia é uma missão coletiva e que nela "existe caminho para todos", recuando ao Portugal de há cem anos para alertar para o perigo das ditaduras.