Info

Covid-19: Presidente da farmacêutica Astrazeneca lamenta egoísmo de alguns países

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Londres, 25 jan 2021 (Lusa) -- O presidente da farmacêutica britânica AstraZeneca lamentou hoje a falta de colaboração dos governos no combate à pandemia de covid-19, criticando o comportamento egoísta de alguns países.

"Poderia ter sido um momento do género do 4 de julho, ou dia da independência (dos Estados Unidos), mas infelizmente não foi o caso, porque houve uma ligeira postura de 'eu primeiro'", disse o francês Pascal Soriot no Fórum Económico Mundial, em Davos.

As declarações de Soriot foram feitas numa altura em que o seu grupo é questionado na Europa sobre a falta de transparência relativamente aos atrasos nas entregas da sua vacina contra a covid-19.

Soriot não deu exemplos específicos de países, embora a pandemia tenha dado origem a uma corrida mundial para obter acesso o mais rapidamente possível primeiro a equipamentos de proteção e depois a vacinas.

"É justo dizer que poderíamos e deveríamos estar globalmente mais bem preparados para esta pandemia", acrescentou.

"O que não funcionou, a meu ver, foi a colaboração do mundo", mesmo que evoque "bons exemplos" de ajudas entre os setores privado e o público, como o caso da vacina de AstraZeneca, desenvolvido com a Universidade de Oxford.

"Mas posso ver que as coisas estão a mudar e que uma colaboração internacional está a surgir", disse, apelando a que sejam feitos investimentos "em prevenção, deteção e tratamento precoce" para que o sistema de saúde esteja pronto para o futuro.

A AstraZeneca admitiu, no final da semana passada, que as entregas seriam menos numerosas do que o previsto, devido a uma "queda do rendimento" de uma fábrica.

Esta declaração causou preocupação na Europa, que está a correr contra o tempo devido ao aparecimento de novas e mais perigosas variantes do coronavírus que provoca a covid-19.

A vacina AstraZeneca/Oxford tem a vantagem de ser mais barata de produzir do que as das suas concorrentes e também mais fácil de armazenar e transportar, especialmente em relação à vacina da Pfizer/BioNTech, que tem de ser armazenada a uma temperatura muito baixa (-70° C).

A pandemia de covid-19 já provocou, pelo menos, 2.129.368 mortos resultantes de mais de 99,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

PMC // ANP

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Cientistas descobrem anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19

Uma equipa internacional de cientistas descobriu anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19, incluindo esta última variante Ómicron, um estudo que foi desenvolvido por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA

Uganda reclama lugar permanente de África no Conselho de Segurança da ONU

Kampala, 20 jan 2022 (Lusa) - O Presidente do Uganda, Yoweri Museveni, reclamou hoje reformas no Conselho de Segurança das Nações Unidas que deem ao continente africano representação permanente naquele órgão, mudanças que poderiam impedir "a agressão contra a África".

Ucrânia: Biden sublinha que qualquer incursão de tropas russas será considerada "invasão"

Washington, 20 jan 2022 (Lusa) -- O Presidente norte-americano, Joe Biden, sublinhou hoje que qualquer entrada de tropas russas em território ucraniano será considerada "uma invasão", após ter suscitado indignação de Kiev ao referir-se quarta-feira a uma "incursão reduzida" russa na Ucrânia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS