Covid-19: Pfizer e BioNTech entregam hoje pedido de aprovação de vacina nos EUA

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Washington, 20 nov 2020 (Lusa) -- O grupo farmacêutico norte-americano Pfizer e a empresa alemã BioNTech confirmaram hoje que vão entregar esta sexta-feira junto das autoridades norte-americanas competentes um pedido de aprovação para a comercialização da vacina contra a covid-19 que desenvolveram.

Serão os primeiros a fazê-lo nos Estados Unidos da América (EUA).

O anúncio do pedido junto da FDA (Food and Drug Administration), a agência federal norte-americana responsável pelo controlo e supervisão do setor alimentar e farmacêutico, surge alguns dias depois da farmacêutica Pfizer e da BioNTech (empresa alemã de biotecnologia) terem anunciado que a sua vacina é 95% eficaz na prevenção da doença covid-19, sem efeitos secundários graves, de acordo com os resultados de um ensaio clínico.

O ensaio clínico da vacina, desenvolvido desde julho, envolveu 44 mil voluntários em vários países.

A FDA não indicou quanto tempo irá demorar a avaliar os dados, mas a administração norte-americana em funções espera que a autorização seja aprovada na primeira quinzena de dezembro.

SCA // ANP

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Mais de 3800 vítimas mortais no terramoto que abalou a Turquia e a Síria

Pelo menos 3800 mortos e milhares de pessoas ficaram feridas na sequência do sismo que abalou o sul da Turquia e o norte da Síria. Segundo o balanço mais recente o jornal ‘The Guardian’, na Turquia já morreram pelo menos 2379 pessoas e 1200 na Síria.

Política “zero covid” afetou a influência da China na Ásia

A China perdeu influência na Ásia, em 2022, devido ao isolamento a que se submeteu no âmbito da política ‘zero covid’, embora tenha aumentado a sua capacidade militar.

O balão que sobrevoou a América Latina é de origem chinesa

O governo chinês disse esta segunda-feira que o balão avistado sobre a América Latina, e designado pelos Estados Unidos como um dispositivo de “vigilância”, tem origem na China, mas que é de “natureza civil”.