Covid-19: Surto em bairro social de Pombal com 47 infetados

| País
Porto Canal com Lusa

Pombal, Leiria, 20 nov 2020 (Lusa) -- Um surto de covid-19 no bairro social Margens do Arunca, em Pombal, infetou 47 pessoas, disse hoje à agência Lusa o presidente do município.

"O bairro social tem 55 habitações, onde moram cerca de 220 pessoas. Há 47 infetados", afirmou Diogo Mateus, referindo "não estar ninguém internado" e salientando que "muitas pessoas estão assintomáticas".

Segundo o presidente deste município do distrito de Leiria, o primeiro caso "terá sido detetado na segunda semana deste mês", tendo sido realizados "214 testes, de que resultaram 47 positivos".

Considerando que "o nível de contágio está estanque", Diogo Mateus destacou "o acatamento rigorosíssimo" dos residentes relativamente ao confinamento domiciliário.

"Os próprios entenderam não haver condições para a venda em feiras. Portanto, autorregularam-se para não o fazer", declarou o autarca, explicando que devido a esta situação há "evidentemente um decréscimo do rendimento", o que exige, além da saúde, a atenção das equipas de desenvolvimento social do município para eventual apoio.

O presidente da Câmara de Pombal adiantou que "há 10 dias o município assegura o fornecimento de refeições quentes à população deste bairro, particularmente às crianças do pré-escolar e do 1.º ciclo, que não estão a frequentar a escola".

"Foram também feitas higienizações de todos os espaços públicos do bairro e, nas habitações onde estiveram pessoas contaminadas, procedeu-se à higienização", disse.

De acordo com Diogo Mateus, "os habitantes deste bairro têm demonstrado um comportamento cívico e compreensão exemplares para dirimir a dimensão do contágio, privando-se das suas liberdades, rendimentos e socialização, como é pedido a todos", reconhecendo "o bom exemplo".

Ainda no concelho de Pombal, há um surto num lar privado, em Santiago de Litém, "sem preocupações de maior nesta altura", declarou o presidente do município.

"Houve capacidade, dentro da instituição, em ultrapassar as circunstâncias, com acompanhamento e apoio da Autoridade de Saúde, Segurança Social, Câmara Municipal, forças de segurança e bombeiros. Reconhecendo a capacidade da instituição, estamos, no entanto, disponíveis, caso seja necessário", assegurou.

Fonte do lar explicou à Lusa que, dos 35 utentes, "a maioria testou positivo e grande parte está assintomática".

"Houve o óbito no hospital de um doente, com mais de 80 anos, com quadro clínico compatível com outros comorbilidades", esclareceu, acrescentando que há outros utentes internados.

Segundo esta fonte, "o lar está, a par das autoridades, a tomar todas as medidas no sentido de minimizar a situação".

Já na quinta-feira, a diretora-geral da Cercipom, instituição que apoia pessoas com deficiência ou incapacidade, informou que, dos 20 utentes do lar residencial de Pombal, 16 testaram positivo.

Segundo Preciosa Santos, dos 15 colaboradores do lar residencial, 11 também tinham testado positivo.

O concelho de Pombal regista desde o início da pandemia, em março, 429 casos de covid-19, mantendo-se 218 ativos, lê-se no último boletim da Comissão Distrital de Proteção Civil de Leiria, divulgado às 09:58 de hoje.

No mesmo período, 196 pessoas recuperaram da doença e foram contabilizados 15 óbitos.

SR // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Já são conhecidas as medidas de coação no caso de tráfico humano no Alentejo

O juiz Carlos Alexandre determinou que 23 dos arguidos, todos eles estrangeiros, ficam em prisão preventiva, outros oito que também ficaram com essa medida têm a possibilidade de passar a ter pulseira eletrónica em prisão domiciliária. Quatro portugueses saem em liberdade, mas ficam proibidos de contactos e com apresentações periódicas às autoridades.

Horários alargados em 176 centros de saúde a nível nacional

Quase duas centenas de centros de saúde estão já a funcionar em todo o país com horário alargado, disponível para consulta no portal do SNS, uma medida que visa diminuir a pressão sobre as urgências hospitalares.

Adão e Silva não vai ao Qatar "contra instâncias que dirigem o futebol mundial." As polémicas do ministro-adepto

Pedro Adão e Silva, em entrevista ao semanário Expresso, garante que não vai ao Mundial de 2022 mesmo que a Seleção Nacional chegue à final. O atual ministro da Cultura defende que o seu lugar no futebol “é no Estádio da Luz”.