Covid-19: Militares mobilizados para a ilha cabo-verdiana da Boa Vista

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Praia, 20 mar 2020 (Lusa) -- Um contingente de 45 elementos, incluindo militares cabo-verdianos, técnicos da Proteção Civil e enfermeiros, chega hoje à ilha da Boa Vista, que regista o primeiro caso de covid-19 no arquipélago de Cabo Verde.

De acordo com informação disponibilizada pelo Ministério da Administração Interna, a primeira equipa de 25 elementos partiu durante a tarde da Praia para a Boa Vista e visa "reforçar as capacidades locais de controlo e de resposta à situação da covid-19", bem como "assegurar a aplicação das regras de restrição".

Por decisão do Governo, a ilha da Boa Vista entrou hoje em quarentena, isolada e sem ligações aéreas ou marítimas ao restante arquipélago, até pelo menos 04 de abril, depois de ter registado o primeiro caso de coronavírus, detetado num cidadão de nacionalidade inglesa.

A primeira equipa mobilizada para a ilha da Boa Vista é composta 21 militares das Forças Armadas, dois técnicos do Serviço Nacional de Proteção Civil e dois enfermeiros da corporação de bombeiros da Praia.

Transportam ainda materiais de apoio, como equipamentos de proteção individual, entre máscaras e luvas, tendas, lanternas, mantas e um drone para reconhecimento e mapeamento.

Segundo o Ministério da Administração Interna, as operações na Boa Vista vão ser reforçadas nas próximas horas com mais um contingente de 20 militares deslocados da ilha de São Vicente.

A quarentena decretada para a ilha da Boa Vista obriga ao encerramento de serviços públicos e privados, com exceção de farmácias e serviços de saúde, forças de segurança e serviços de proteção civil.

Estabelecimentos comerciais de venda de produtos e bens de primeira necessidade, de higiene e limpeza e entrega domiciliária de refeições, postos de combustíveis, bancos e seguros e outros considerados fundamentais também permanecem abertos.

Cerca de 850 pessoas - estrangeiros e cidadãos cabo-verdianos, incluindo 210 funcionários - estão de quarentena no hotel onde foi confirmando o primeiro caso do novo coronavírus no país, naquela ilha, e sob vigilância permanente dos serviços de saúde da ilha. 

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 265 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 11.100 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 90.500 recuperaram da doença.

 

PVJ // JH

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Suspeito de ataque em Copenhaga tem antecedentes psiquiátricos

O alegado autor de um tiroteio ocorrido no domingo em Copenhaga, que fez três mortos e quatro feridos graves, tem antecedentes de doença psiquiátrica, indicou hoje a polícia dinamarquesa, afirmando não haver indícios de "um ato terrorista".

Vários mortos em tiroteio na Dinamarca. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Várias pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

Rússia anuncia controlo total da região ucraniana de Lugansk. Ucrânia desmente. 

O ministro da Defesa russo Serguei Shoigu afirmou hoje que as forças russas controlam toda a região ucraniana de Lugansk, no Donbass, depois de conquistada a cidade-chave de Lisichansk, alvo de combates intensos nos últimos dias.