Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Moçambique anuncia suspensão de vistos e encerramento de escolas

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Maputo, 20 mar 2020 (Lusa) - O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, anunciou hoje a suspensão de vistos de entrada no país e o encerramento de todas as escolas a partir de segunda-feira como forma de prevenção do novo coronavírus.

Numa comunicação à Nação, o chefe de Estado anunciou a suspensão "da emissão de vistos de entrada em Moçambique" e o cancelamento de "todos os já emitidos".

Anunciou ainda "o encerramento de todas as escolas públicas e privadas, do ensino pré-escolar ao ensino superior" a partir de dia 23.

Entre outras medidas divulgadas conta-se também a suspensão de todos os eventos sociais "com mais de 50 pessoas" e o alargamento de quarentena domiciliária a todos os viajantes, não apenas daqueles oriundos de países com infeções ativas.

Mais de 10 mil pessoas já morreram em todo o mundo infetadas pela pandemia da Covid-19, provocada pelo novo coronavírus, de acordo com um balanço feito pela Agência France-Presse a partir de dados oficiais divulgados hoje às 10:30.

De acordo com o novo balanço, foram registadas 10.080 mortes, a maioria na Europa (4.932) e Ásia (3.431).

Com 3.405 mortes, a Itália é o país mais afetado, à frente da China (3.248), o centro inicial de contágio, e do Irão (1.433).

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por mais de 179 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

LFO (DD) // LFS

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Militar cercado em Azovstal partilha fotografias do interior dos abrigos. Veja as imagens aqui

Um militar ucraniano do regimento Azov colocou à disposição do público uma seleção de fotografias tiradas no interior da fábrica de aço Azovstal, último reduto da resistência ucraniana na cidade portuária de Mariupol.

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras