Info

Eurogrupo diz que porta está aberta mas com base na propostas dos credores

| Política
Fonte: Agência Lusa
Bruxelas, 25 jun (Lusa) - O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, disse hoje que persistem ainda distâncias entre Atenas e os credores e que as "portas continuam abertas" para que as autoridades gregas aceitem as propostas das instituições.

Em comunicado, Dijsselbloem afirmou que a reunião desta tarde dos ministros das Finanças da zona euro serviu para as instituições (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) informarem das "intensivas negociações com o Governo grego" e que a "distância ainda é grande" entre as propostas dos credores e o que querem as autoridades gregas.

"No entretanto, as portas continuam abertas para que as autoridades gregas aceitem as propostas postas na mesa pelas instituições", disse o presidente do Eurogrupo.

O também ministro das Finanças da Holanda voltou a queixar-se de que as novas propostas do Governo grego chegaram hoje em cima da reunião do Eurogrupo, pelo que as instituições não tiveram tempo de fazer uma análise aprofundada, o que ainda irão fazer.

Jeroen Dijsselbloem reiterou ainda a possibilidade de o Eurogrupo voltar a reunir-se sábado, na quarta reunião em menos de uma semana e apenas dedicada à Grécia.

IM/IG/ACC// ATR

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Eutanásia: Parlamento aprova na generalidade despenalização da morte medicamente assistida

A Assembleia da República aprovou hoje na generalidade os cinco projetos para despenalização da morte medicamente assistida.

Atualizado 20-02-2020 19:11

Eutanásia: PCP alerta para "novos riscos" da legalização da morte assistida

O deputado do PCP António Filipe defendeu hoje que o "direito à vida é um direito fundamental, inviolável e irrenunciável" e que a "legalização da eutanásia" acrescenta "novos riscos" numa "sociedade determinada pelo capitalismo".

Descentralização: Dossiers da Saúde, Educação e Ação Social ficam adiados para 2022

O Governo garante que o processo de Descentralização não está suspenso. A ministra Alexandra Leitão diz apenas que nas áreas da Saúde, Educação e Ação Social na reforma é adiada para o primeiro trimestre de 2022.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

"Nasci em Lisboa mas digo sempre vou...

D'Mais

Travelhood - Roteiros na natureza para...