Info

Incêndios: Câmara de Monchique estima que milhares de sobreiros tenham morrido

| Economia
Porto Canal com Lusa

Monchique, Faro, 12 ago (Lusa) - Milhares de sobreiros terão morrido com o fogo que deflagrou em Monchique em 03 de agosto, informou hoje o presidente da Câmara de Monchique, considerando que poderá ser "um rombo muito grande" para o setor.

Os sobreiros, espécie autóctone da serra de Monchique, no Algarve, ficaram fortemente afetados pelo incêndio, que lavrou durante uma semana e que consumiu uma parte considerável da área florestal do concelho, disse à agência Lusa o presidente da Câmara, Rui André (PSD).

"As árvores tinham sido afetadas em 2003 e estavam agora numa altura de regeneração e recuperação. É uma situação que temos de avaliar nos próximos anos e depende muito das temperaturas [atingidas pelo fogo] para ver se recuperam ou não", explicou o autarca.

No entanto, Rui André acredita que "o nível de destruição que o fogo causou terá um rombo grande na produção de cortiça".

Segundo o presidente do município, milhares de árvores poderão ter morrido, principalmente por terem já sido afetadas pelo incêndio de há 15 anos.

"Em 2003, recuperaram. Desta vez, será muito difícil", notou.

O presidente da Associação de Produtores de Aguardente de Medronho do Barlavento Algarvio, Paulo Rosa, também acredita que milhares de sobreiros que nunca tinham ardido possam ter morrido.

"É uma coisa irrecuperável. A melhor área de sobreiral desapareceu completamente. Era uma riqueza enorme para o país e ficavam uns tostões aqui para a gente", disse à agência Lusa Paulo Rosa, realçando que aquelas árvores produziam dez vezes mais cortiça do que os sobreiros no Alentejo.

Na maioria, "ficaram consumidos pelo fogo e já não vão rebentar", afirmou.

O incêndio rural que deflagrou no dia 03 em Monchique (distrito de Faro, Algarve), combatido por mais de mil operacionais e considerado dominado na sexta-feira (dia 10) de manhã, atingiu também o concelho vizinho de Silves, depois de ter afetado, com menor impacto, os municípios de Portimão (no mesmo distrito) e de Odemira (distrito de Beja).

Quarenta e uma pessoas ficaram feridas, uma das quais com gravidade (uma idosa que se mantém internada em Lisboa).

Segundo o município de Monchique, arderam cerca de 16.700 hectares no concelho.

JYGA/MLS/JPC // ROC

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Governo revoga permissão de pesca de sardinha misturada com outras espécies

O Governo revogou hoje, invocando dificuldades na fiscalização, a permissão dada há um mês aos pescadores para manter a bordo sardinha -- cuja pesca está interdita -- misturada com outras espécies, até 1% do total das capturas a bordo.

Cinco maiores bancos em Portugal diminuem lucros em mais de 400 ME até setembro

Os cinco maiores bancos em Portugal contabilizaram lucros agregados de 983,1 milhões de euros até setembro deste ano, uma diminuição de 405,4 milhões de euros face ao registado no mesmo período de 2018.

Desigualdade salarial obriga portuguesas a trabalhar mais 54 dias do que os homens

Portugal mantém-se um país com “telhados e paredes de vidro” em matéria de igualdade salarial, onde as mulheres têm de trabalhar mais 54 dias para ganhar o mesmo ordenado de um homem, apesar da evolução positiva dos últimos anos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.