Info

Costa e Marcelo articulam deslocações a Monchique

Costa e Marcelo articulam deslocações a Monchique
| Política
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro vai deslocar-se às zonas afetadas pelo incêndio de Monchique com os governantes das áreas da habitação, agricultura, segurança social e turismo, numa visita de trabalho articulada com o Presidente da República, que irá depois ao terreno.

Fonte do gabinete do primeiro-ministro informou hoje à agência Lusa que António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa articularam entre si as deslocações a Monchique, ainda sem datas marcadas, após ter sido dominado hoje o fogo que deflagrou nesta zona do Algarve há uma semana.

As deslocações estão organizadas em três fases, acrescentou a mesma fonte.

A primeira é a deslocação do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que acontece hoje.

Segue-se a deslocação liderada pelo primeiro-ministro numa vertente executiva e numa terceira fase, acontecerá a deslocação do Presidente da República também para se inteirar da situação.

António Costa irá acompanhado por responsáveis das pastas da habitação, agricultura, segurança social e turismo para terem reuniões com os autarcas de Monchique, Silves e Portimão, bem como com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve e a Associação de Municípios do Algarve.

O objetivo, adiantou a fonte do gabinete do primeiro-ministro, é fazer um ponto de situação da necessidade imediata de apoios e estudar as respostas a dar às populações.

segunda comandante operacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar, deu hoje o incêndio que lavra há uma semana em Monchique como dominado, mas sublinhou que ainda não é o momento de cruzar os braços.

+ notícias: Política

Eutanásia: Parlamento aprova na generalidade despenalização da morte medicamente assistida

A Assembleia da República aprovou hoje na generalidade os cinco projetos para despenalização da morte medicamente assistida.

Atualizado 20-02-2020 19:11

Eutanásia: PCP alerta para "novos riscos" da legalização da morte assistida

O deputado do PCP António Filipe defendeu hoje que o "direito à vida é um direito fundamental, inviolável e irrenunciável" e que a "legalização da eutanásia" acrescenta "novos riscos" numa "sociedade determinada pelo capitalismo".

Descentralização: Dossiers da Saúde, Educação e Ação Social ficam adiados para 2022

O Governo garante que o processo de Descentralização não está suspenso. A ministra Alexandra Leitão diz apenas que nas áreas da Saúde, Educação e Ação Social na reforma é adiada para o primeiro trimestre de 2022.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

"Nasci em Lisboa mas digo sempre vou...

D'Mais

Travelhood - Roteiros na natureza para...