Info

Ministro das Infraestruturas lamenta "greve repetida" na CP mas Governo não vai ceder

Ministro das Infraestruturas lamenta "greve repetida" na CP mas Governo não vai ceder
| Política
Porto Canal com Lusa

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, lamentou esta segunda-feira "os impactos" de uma "greve repetida" na CP (Comboios de Portugal) mas apontou que o Governo não vai ceder às reivindicações dos trabalhadores.

"A greve é um direito completamente legítimo dos trabalhadores, contudo o que está aqui em causa é a alteração de um regulamento que o Governo não alterou e não está a pensar alterar", disse Pedro Marques.

O governante, que falava à margem de uma visita às obras de requalificação da estação General Torres, concelho de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, apontou que o "regulamento português é semelhante em toda a Europa, excetuando um país de leste", estando em curso "há décadas".

Em causa está um protesto dos ferroviários que criticam a circulação de comboios com um só agente.

A CP já alertou que a greve marcada para esta terça e quarta-feira vai afetar a circulação de comboios e suprimir algumas ligações.

Pedro Marques disse que acatar as reivindicações poderia significar "o pagamento de milhões e milhões de euros de indemnizações às concessionárias que têm a concessão de alguns troços de rede" e disse que a CP, "apesar das regras regulamentares funciona com dois agentes".

"Este tipo de greve repetida penaliza muito as populações. Apenas posso lamentar os impactos da greve nas populações, mas é um direito legítimo dos sindicatos fazerem greve", concluiu o ministro que rumou de seguida a Espinho, distrito de Aveiro, onde esta manhã faz o lançamento da empreitada de modernização do troço Espinho/Gaia, investimento integrado na obra de requalificação da Linha do Norte.

+ notícias: Política

Aprovada moção de confiança à direção de Rui Rio

O Conselho Nacional do PSD aprovou hoje a moção de confiança à Comissão Política Nacional liderada por Rui Rio, com 75 votos a favor, 50 contra e um nulo, segundo fonte oficial do PSD.

Costa afirma que há condições políticas à esquerda para aprovar lei de bases da saúde

O primeiro-ministro considerou hoje que há condições políticas entre as forças da maioria parlamentar de esquerda para aprovar uma nova lei de bases da saúde, clarificando de vez as relações entre os setores público, social e privado.

PGR alerta para "inevitável turbulência" provocada por novo estatuto do MP

A procuradora-geral da República alertou esta terça-feira para a "inevitável turbulência" provocada pelas alterações decorrentes da reforma do Estatuto do Ministério Público, que colocam desafios numa magistratura com falta de meios humanos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.