Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Costa rejeita que redução da TSU para salários mínimos viole acordos de Governo

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 22 dez (Lusa) - O primeiro-ministro negou hoje que o Governo esteja a violar os acordos políticos entre as forças da esquerda parlamentar ao propor uma redução da Taxa Social Única (TSU) em um ponto percentual para os salários mínimos.

António Costa falava aos jornalistas no final do debate quinzenal na Assembleia da República, depois de confrontado com as críticas feitas pelo Bloco de Esquerda, PCP e "Os Verdes" à proposta apresentada pelo Governo de compensar o patronato com uma redução da TSU em um ponto percentual como compensação pela fixação do salário mínimo em 557 euros em 2017.

No debate, "Os Verdes" consideraram mesmo que essa proposta apresentada pelo Governo em concertação social, prevendo uma descida da TSU (Taxa Social Única) a aplicar ao conjunto dos salários mínimos atualizados, estará em violação com o teor das declarações conjuntas assinadas entre PS, Bloco de Esquerda, PCP e PEV para a formação do atual executivo.

O primeiro-ministro rejeitou, respondendo: "Não é assim, porque está no programa do Governo que iriamos propor à concertação social, anualmente, uma trajetória de convergência para o salário mínimo".

"É isso que estamos a fazer", sustentou.

Em relação ao tema da atualização do salário mínimo em 2017, que está em discussão na concertação social, o primeiro-ministro recusou-se a pronunciar-se sobre o curso das negociações com os diferentes parceiros sociais.

"A nossa proposta é conhecida, foi apresentada e agora aguardamos o decurso da reunião da concertação social. Com negociações em curso, não vou estar neste momento a pronunciar-me. Mas um acordo de médio prazo seria positivo para o país. O meu desejo é que as coisas corram bem", acrescentou António Costa.

PMF // SMA

Lusa/fim

+ notícias: Política

Transportes, emprego e habitação foram os principais temas no debate de Guimarães

Os candidatos à autarquia de Guimarães apresentaram propostas e debateram o atual estado do concelho. A oposição pede uma mudança de ciclo político, o Bloco de Esquerda vai mais longe e diz que os 28 anos de governação socialista trouxeram "medo" à cidade.

Impostos, obras públicas e execução orçamental foram os principais temas no debate de Vila Real

Rui Santos, António Carvalho, Joana Rapazotte, João Paulo Correia e Mário Gonçalves estiveram presentes no Porto Canal a debater essencialmente questões ligadas aos impostos, obras públicas e execução orçamental.

MAI ordena à Proteção Civil auditoria para verificar todas as licenciaturas

O secretário de Estado da Administração Interna ordenou à Autoridade Nacional de Proteção Civil que realize uma auditoria para verificar as licenciaturas de todos os dirigentes e elementos da sua estrutura operacional, que deve estar concluída até dia 25.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Nota Alta

"Todos nós estamos desenhados...