Câmara do Porto discute contrato para instalar Museu do Porto em piso da Alfândega

Câmara do Porto discute contrato para instalar Museu do Porto em piso da Alfândega
| Porto
Porto Canal / Agências

O executivo da Câmara do Porto vota na segunda-feira a celebração de um contrato de cedência para instalar no 1.º piso da ala nascente da Alfândega o núcleo central do Museu do Porto, pelo qual irá pagar 12 mil euros mensais durante dois anos.

Numa proposta, a que a Lusa teve acesso, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, esclarece que o município vai desenvolver até ao final do ano "o primeiro programa e configuração" do respetivo museu na Alfândega do Porto.

"Este edifício reúne as condições espaciais e técnicas, geográficas e patrimoniais, históricas e simbólicas que se pretendem para um núcleo central do Museu do Porto", refere o autarca, notando que o 1.º piso da ala nascente do edifício tem uma área de 2.000 metros quadrados.

Segundo o autarca, a área a ocupar pelo município "foi objeto de avaliação externa, tendo sido estimada o valor da renda em 15.000 euros", o que significa "que o município pagará uma renda mensal inferior à renda de mercado estimada".

A ocupação deste espaço, esclarece Rui Moreira, deverá ser concretizada através de um contrato de cedência a celebrar com a Associação para o Museu dos Transportes e Comunicações, entidade que faz a cessão do edifício da Alfândega, "com uma contrapartida financeira mensal de 12.000 euros, acrescido de IVA a taxa em vigor, pelo prazo de dois anos e com possibilidade de renovação por períodos consecutivos de um ano".

Rui Moreira acrescenta ainda que esta despesa está contemplada no orçamento da Direção Municipal de Cultura e Património para este ano.

"O Museu do Porto será o núcleo central da rede polinucleada que toma o seu nome, servindo de ponto de partida e chegada da sua experiência de conhecimento e visitação, assim como da demais oferta cultural, patrimonial e museológica da cidade", acrescenta o autarca.

+ notícias: Porto

Portuenses contra estacionamento pago na zona industrial. “Quem põe aqui o carro é porque vem trabalhar”

Trabalhadores e moradores da zona industrial no Porto estão contra o estacionamento pago em três ruas que pode começar ainda durante este mês de fevereiro. Na Avenida Fontes Pereira de Melo e nas ruas Manuel Pinto de Azevedo e Eng. Ferreira Dias foram já formalizados 512 novos lugares de estacionamento pago, ainda que estes não estejam já a ser cobrados.

Incêndio em colégio no Porto já está extinto

O incêndio que deflagrou ao início da tarde de deste domingo no Colégio Flori, no Porto, "já está extinto" e em fase de rescaldo e ventilação, adiantaram ao Porto Canal as autoridades.

Last Folio: as duras memórias do Holocausto 

O Museu e Igreja da Misericórdia do Porto acolhem a exposição internacional LAST FOLIO acompanhada por um documentário, que mostra as memórias do Holocausto. A exposição do fotógrafo Yuri Dojc e da cineasta Katya Krausova, pode ser visitada até novembro.