Começou a demolição da antiga refinaria de Matosinhos. Trabalhadores despedidos falam em “crime económico”

| Norte
Inês Veloso Durães

Os trabalhos iniciaram-se esta segunda-feira na zona dos tanques de armazenagem. O local de partida de uma jornada rumo à demolição total da antiga refinaria, uma jornada rumo ao futuro.

Já do lado oposto do complexo, junto à entrada, marcava presença o passado da antiga refinaria através de uma concentração de alguns dos cerca de 150 trabalhadores abrangidos pelo despedimento coletivo.

“É com grande tristeza, com grande lamento e com frustração enorme de ver um complexo como este de criação de riqueza, de criação de energia desaparecer para não sabemos ainda o quê”, afirma José Azevedo, antigo trabalhador.

Também César Martins foi abrangido pelo despedimento coletivo e conta que “há equipamento novo e isto é tudo para deitar fora. É assim que se usam os dinheiros públicos. Isto é um crime. A nossa indústria há de ficar sempre prejudicada de futuro, porque vamos começar a comprar tudo ao exterior.”

O princípio de um processo que terá a duração de dois anos e meio e que é da total responsabilidade da Galp. Após a demolição, seguem-se a descontaminação e a reabilitação ambiental dos terrenos, mediante a futura utilização dos 240 hectares. Um futuro ainda incerto.

“Hoje diz-se uma coisa, amanhã diz-se outra. Os planos já alteraram e depois o fundo para a limpeza do terreno, que é muito dinheiro, isto está a criar uma grande celeuma e não há decisões”, explica César Martins.

O objetivo futuro para já revelado é a construção de uma cidade da inovação, voltada para as energias do futuro. Mas há quem esteja revoltado e acredite que o setor imobiliário tomará conta daquelas áreas, como é o caso de Ana Basílio, antiga trabalhadora.

“São muitos metros quadrados de terreno que pertenceram a 200 proprietários que foram expropriados com o intuito de interesse público nacional urgente, segundo o decreto-lei da altura. E após 60 anos, vemos isto ser transformado num local talvez de imobiliário”, diz Ana Basílio.

Para já, decorre o processo de demolição que, de acordo com a Galp, poderá originar poeiras e ruídos, na zona envolvente.

+ notícias: Norte

Portão de armazém do Pingo Doce cai em cima de trabalhador de Barcelos hospitalizado em estado grave

Um homem foi hospitalizado em estado grave na noite desta terça-feira após ter sido atingido por um portão do armazém do Pingo Doce de Barcelos, adiantou fonte dos bombeiros locais. Além deste ferido, também uma mulher sofreu ferimentos ligeiros.

Saiba quais foram os restaurantes do Norte que receberam estrela Michelin

O restaurante Antiqvvum no Porto foi a 'estrela da noite' com a atribuição da segunda estrela do guia Michelin, mas não foi o único a ser premiado esta terça-feira na região Norte. Quatro estabelecimentos do Porto mantiveram níveis de excelência.

Projeto "Ligue antes, salve Vidas" alargado à ULS de Gaia/Espinho e Entre Douro e Vouga

O projeto piloto "Ligue antes, salve Vidas" vai ser alargado à Unidade Local de Saúde de Gaia/Espinho e à Unidade Local de Saúde de Entre Douro e Vouga, indica uma portaria publicada em Diário da República esta terça-feira.