OE2024. Reforçada isenção fiscal do IRS jovem e alargados limites de rendimento

OE2024. Reforçada isenção fiscal do IRS jovem e alargados limites de rendimento
| Economia
Porto Canal/Agências

A proposta do Orçamento do Estado para 2024 (OE2024) que o Governo entregou esta terça-feira no parlamento vai reforçar a isenção fiscal em sede de IRS dos jovens trabalhadores e aumenta os limites isentos de imposto.

De acordo com a proposta, os jovens vão beneficiar de uma isenção de IRS sobre 100% do rendimento até ao limite de 40 vezes o valor do Indexante de Apoios Sociais (IAS), no seu primeiro ano de trabalho.

No segundo ano, a isenção é de 75% (pagando, assim, imposto sobre 25% do rendimento que auferem) até ao limite de 30 vezes o valor do IAS, enquanto nos dois anos seguintes o imposto incidirá sobre 50% do rendimento, tendo por limite o equivalente a 20 vezes o valor do IAS.

No quinto ano, a isenção de que os jovens podem beneficiar é de 25%, com o limite de 10 vezes o valor do IAS.

Este benefício abrange quer os rendimentos da categoria A (trabalho dependente) quer da categoria B (trabalho independente, genericamente associado a recibos verdes).

No modelo atualmente em vigor há isenção de 50% no primeiro ano; de 40% no segundo; de 30% no terceiro e quarto anos; e de 20% no quinto e último ano da medida, tendo estas três tipologias de isenções por limite (e pela mesma ordem), 12,5 vezes o valor do Indexante de Apoios Sociais (IAS), 10 vezes o valor do IAS, 7,5 vezes o valor do IAS e cinco vezes o valor do IAS, respetivamente.

Após a entrega, o calendário indica que a proposta do Orçamento do Estado para 2024 é discutida na generalidade nos dias 30 e 31 de outubro.

As discussões na especialidade – onde são debatidos e votados quer os artigos da proposta do OE2024, quer todas as propostas de alteração e aditamento entretanto entregues pelos partidos – vão decorrer de 23 a 29 de novembro, culminando com a votação final global do documento.

+ notícias: Economia

“Veio para ficar”. Restaurantes já não abrem mão das aplicações de entregas

Os confinamentos, durante a pandemia de covid-19, vieram mudar os hábitos dos portugueses, no que respeita aos pedidos de entregas em casa. Os estafetas passaram a ter um papel muito diferente no dia-a-dia, não só dos consumidores, como dos próprios estabelecimentos parceiros. Uma tendência que, ao contrário do que se esperava, cresceu e parece estar a criar raízes.

Bruxelas elogia cortes "permanentes de despesa" anunciados pelo Governo

A Comissão Europeia saudou hoje o facto de as medidas anunciadas pelo primeiro-ministro se basearem em "reduções permanentes de despesa" e destacou a importância de existir um "forte compromisso" do Governo na concretização do programa de ajustamento.

Bruxelas promete trabalhar "intensamente" para conluir 7.ª avaliação

Bruxelas, 06 mai (Lusa) -- A Comissão Europeia está empenhada em trabalhar "intensamente" para terminar a sétima avaliação à aplicação do programa de resgate português antes das reuniões do Eurogrupo e do Ecofin da próxima semana, mas não se compromete com uma data.