Terreno da antiga refinaria que Galp quer ceder à câmara de Matosinhos está contaminado

Terreno da antiga refinaria que Galp quer ceder à câmara de Matosinhos está contaminado
| Norte
Porto Canal / Agências

A parcela do terreno da antiga refinaria da Galp em Matosinhos que a empresa pretende ceder à câmara para a Cidade da Inovação tem os solos e as águas subterrâneas contaminadas, revelou, esta quinta-feira, à Lusa a Agência Portuguesa do Ambiente (APA). 

“Na sequência desta avaliação dos solos e águas subterrâneas concluiu-se pela existência de contaminação dos solos e das águas subterrâneas” na parcela em causa, referiu a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), em resposta a questões colocadas pela Lusa, segundo a qual a Galp já foi informada deste parecer.

Dessa forma, a APA adiantou que a análise de risco efetuada pela Petrogal para o terreno sito entre a refinaria, encerrada em 2021, e a rua António da Silva Cruz, em Leça da Palmeira, determinou a existência de “risco inaceitável para os futuros utilizadores da parcela (considerando uma eventual utilização residencial ou industrial da mesma), situação a ultrapassar com medidas de gestão de risco adequadas”, salientou.

E “risco aceitável para os trabalhadores da construção que possam vir a estar envolvidos em eventuais intervenções na parcela em causa e atuais recetores da envolvente”.

“Assim, nos termos da legislação em vigor é devido o licenciamento da operação de remediação de solos junto da CCDR [Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional] territorialmente competente, conforme oportunamente transmitido à Petrogal”, frisou a APA.

Contactada pela Lusa, a Câmara Municipal de Matosinhos, no distrito do Porto, assumiu desconhecer esta avaliação, reforçando que nesta fase a discussão é entre a APA e a Galp.

“A Câmara Municipal de Matosinhos apenas aceitará o terreno, aplicando nessa parcela o investimento disponível do Fundo para uma Transição Justa, após a garantia de que os riscos estão devidamente salvaguardados”, garantiu.

A autarquia, liderada pela socialista Luísa Salgueiro, recordou que a competência é da APA, que “deve tomar as medidas adequadas para garantir que o poluidor mitiga os riscos que possam existir”.

Em abril de 2022, a autarca salientou, em reunião de câmara, que dos cerca de 260 hectares que ocupava a refinaria, a Galp cedeu 40 à autarquia para aí desenvolver projetos de utilidade pública e aplicar as verbas do Fundo para Uma Transição Justa.

Na ocasião, Luísa Salgueiro ressalvou que a área cedida pela Galp se localiza no topo Norte e que, à partida, não precisaria de ser descontaminada porque não tinha equipamentos, nem atividade.

Nessa parcela, a autarquia pretende construir uma cidade da inovação ligada às “energias do futuro", no âmbito de um protocolo de cooperação entre a Galp e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

A cidade da inovação pretende potenciar "um ecossistema urbano, social e ambientalmente sustentável, incluindo comércio e serviços, hotelaria, restauração, indústria 5.0, habitação, equipamentos culturais e de lazer, com destaque para um ‘Green Park’ [parque verde]".

A Lusa interrogou ainda a Galp sobre a matéria, mas sem sucesso até ao momento.

+ notícias: Norte

Popular atira objetos e faz gestos obscenos para arruada do PS em Guimarães

A uma semana das eleições legislativas antecipadas, o líder do PS encontra-se em campanha no Norte do país, arrancando o dia em Vila do Conde, com uma arruada em Caxinas, seguida de mais duas ações de rua, em Guimarães e em Vizela, e, ao final do dia, dois comícios, o primeiro será em Braga e o último, em Viana do Castelo.

Portugal regressa ao espaço. Satélite construído em Matosinhos é lançado esta segunda-feira

O "Aeros", um nanossatélite de 4,5 quilos, seguirá a bordo de um foguetão Falcon 9, que descolará da base da empresa SpaceX de Vandenberg às 21:18 (hora de Lisboa), de acordo com a Thales Edisoft Portugal, líder do consórcio nacional que projetou, construiu e operará o engenho, e que agrega várias empresas e instituições académicas.

Norte com o maior número de ocorrências devido ao mau tempo

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) contabilizou 33 ocorrências durante a noite passada devido ao mau tempo, sobretudo na região Norte e relacionadas com limpezas de via, sem registo de feridos.