Proteção Civil espera dominar fogo na Serra da Estrela nos próximos dois dias

Proteção Civil espera dominar fogo na Serra da Estrela nos próximos dois dias
| País
Porto Canal / Agências

A Proteção Civil espera ter o incêndio na Serra da Estrela dominado nos próximos dois dias, aproveitando a "janela de oportunidade" criada pelo desagravamento das condições meteorológicas, previsto a partir da próxima madrugada.

"Contamos conseguir dar o incêndio como dominado nos próximos dois dias", disse em conferência de imprensa o comandante nacional de Emergência e Proteção Civil, André Fernandes, na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide, Oeiras (Lisboa).

Segundo André Fernandes, "o incêndio continua bastante fragmentado" mas já a partir da próxima madrugada haverá "uma janela de oportunidade" para dominar o fogo que já esteve dominado mas reativou-se com intensidade.

André Fernandes disse que é esperada uma melhoria nas condições meteorológicas, "sendo expectável" nomeadamente "que o vento perca a intensidade" e que "a humidade relativa do ar suba substancialmente".

+ notícias: País

Internamentos e óbitos causados pela gripe estão subnotificados

Os casos de internamentos por gripe em Portugal estão subnotificados, assim como as mortes causadas pela doença, segundo um estudo que analisou durante uma década o peso das hospitalizações e da mortalidade provocada pela gripe.

D. José Ornelas: "Os padres não são uma cambada de pedófilos"

D. José Ornelas garante que não protegeu nenhum abusador de crianças. O alegado encobrimento remete para um caso de 2011 de um alegado abuso de menores num orfanato, em Moçambique. A afirmação do bispo de Leiria-Fátima surge depois do Ministério Público ter confirmado que D. José Ornelas está a ser investigado.

Pilotos dizem que se TAP tem dinheiro para comprar BMW, tem dinheiro para repor condições laborais

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil sugeriu esta quarta-feira à TAP a mesma lógica de “gastar-mais, para poupar”, com que a companhia se defendeu sobre a renovação da frota automóvel corporativa, para a reposição das condições laborais dos trabalhadores.