Doze meios aéreos e mais de 1.250 operacionais no combate na serra da Estrela

Doze meios aéreos e mais de 1.250 operacionais no combate na serra da Estrela
| País
Porto Canal / Agências

Doze meios aéreos e mais de 1.250 operacionais estão hoje à tarde a combater o incêndio que lavra na serra da Estrela, segundo o 'site' da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

Este incêndio deflagrou no dia 06 de agosto em Garrocho, no concelho da Covilhã, e foi dado como dominado no sábado, dia 13, mas sofreu uma reativação na segunda-feira.

Às 18:15 de hoje, o fogo mobilizava 1.253 operacionais, apoiados por 394 viaturas e 12 meios aéreos.

Ao fazer hoje, pelas 12:00, um ponto de situação sobre os incêndios em Portugal, o comandante nacional de Emergência e Proteção Civil admitiu que as previsões meteorológicas são desfavoráveis.

Reconhecendo que as características da zona dificultam o combate, André Fernandes explicou que a situação é complexa e que a prioridade é a estabilização do incêndio.

Até hoje, registaram-se 19 feridos ligeiros e três feridos graves, nenhum dos quais em risco de vida, e danos em duas casas de primeira e segunda habitação.

De segunda-feira para hoje, tiveram de ser deslocadas das suas casas 45 pessoas.

Além de atingir o concelho da Covilhã, este fogo chegou a Manteigas, Gouveia, Guarda e Celorico da Beira, no vizinho distrito da Guarda, queimando um total superior a 14 mil hectares, segundo dados provisórios. Em causa está uma área de parque natural classificada.

+ notícias: País

Já são conhecidas as medidas de coação no caso de tráfico humano no Alentejo

O juiz Carlos Alexandre determinou que 23 dos arguidos, todos eles estrangeiros, ficam em prisão preventiva, outros oito que também ficaram com essa medida têm a possibilidade de passar a ter pulseira eletrónica em prisão domiciliária. Quatro portugueses saem em liberdade, mas ficam proibidos de contactos e com apresentações periódicas às autoridades.

Horários alargados em 176 centros de saúde a nível nacional

Quase duas centenas de centros de saúde estão já a funcionar em todo o país com horário alargado, disponível para consulta no portal do SNS, uma medida que visa diminuir a pressão sobre as urgências hospitalares.

Adão e Silva não vai ao Qatar "contra instâncias que dirigem o futebol mundial." As polémicas do ministro-adepto

Pedro Adão e Silva, em entrevista ao semanário Expresso, garante que não vai ao Mundial de 2022 mesmo que a Seleção Nacional chegue à final. O atual ministro da Cultura defende que o seu lugar no futebol “é no Estádio da Luz”.