Autarca de Guimarães exige que "arruaceiros" croatas não entrem no estádio

| Norte
Porto Canal / Agências

O presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, exigiu esta quarta-feira que os “arruaceiros” adeptos do Hajduk Split identificados pela PSP sejam impedidos de assistir ao jogo que esta tarde vai ser disputado no D. Afonso Henriques.

Em declarações aos jornalistas, Domingos Bragança disse ainda que a PSP “falhou” ao ter deixado aqueles adeptos à solta na cidade de Guimarães, sublinhando que o Hajduk Split tem uma claque com "fama e má reputação de serem muito conflituosos e arruaceiros".

"Há cadastro e não houve planeamento, algo falhou. Houve essa falha [de segurança], porque nos planos da PSP devia estar prevista esta possibilidade. Não é só no dia de hoje, porque os adeptos deste clube que nos visita da Croácia tem fama e esta má reputação de serem muito conflituosos e arruaceiros", referiu o autarca socialista.

Em causa os incidentes registados na noite de terça-feira no centro histórico de Guimarães.

Em comunicado, a Polícia de Segurança Pública (PSP) refere que identificou 154 adeptos do Hadjuk Split - 122 cidadãos croatas, 23 portugueses e nove adeptos de outras nacionalidades - por alegadamente terem arremessado cadeiras de esplanadas e deflagrado artefactos pirotécnicos.

A PSP apreendeu ainda “um pote de fumo, uma soqueira e um passa-montanhas”.

Para Domingos Bragança, os adeptos em causa configuram “uma horda de criminosos” que “instalaram o pânico” em Guimarães, numa altura em que “as pessoas estavam a jantar e a conversar” no centro histórico.

“Houve prejuízos materiais, mas o prejuízo mais significativo é este da segurança. Uma cidade tranquila e segura não pode ter esta reputação, caso a caso, longe a longe, por causa de visitantes que vêm a Guimarães”, disse ainda o autarca.

Para Domingos Bragança, a polícia “tem de ser mais forte” e, “quando não tem força, como mostra não ter nestes casos, tem de pedir reforços”.

Além disso, considerou que também a Polícia Judiciária “tem de estar atenta para cortar este mal pela raiz” e que o Ministério Público “também tem de atuar”.

“Estes energúmenos identificados deveriam ser detidos durante todo o dia de hoje para prestarem declarações ao tribunal, de modo a que não consigam sequer vir à cidade nem tão pouco assistirem ao encontro de futebol", exigiu.

O presidente da câmara disse esperar que hoje “esteja tudo em alerta e tudo reforçado”, adiantando que pediu ao Ministério da Administração Interna o reforço da polícia e a “articulação” com a Polícia Judiciária e com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, para detenção dos adeptos em questão.

Após a derrota da primeira mão, por 3-1, na Croácia, o Vitória de Guimarães recebe hoje o Hajduk Split, para a segunda mão da terceira pré-eliminatória da Liga Conferência Europa, agendado para as 17:00, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

+ notícias: Norte

Porto: o caos no trânsito e os cinco principais pontos críticos da cidade

O trânsito no Porto pode ser uma dor de cabeça para quem tem de atravessar a cidade. Ao longo dos anos, o número de veículos em circulação nas principais vias da cidade tem aumentado, o que faz com que a rede fique congestionada. A travessia do rio Douro é exemplo do caos que podem ser as horas de ponta, mas não é o único.

Eduardo Vítor Rodrigues defende que metro na Ponte da Arrábida "não faz sentido absolutamente nenhum"

O presidente da Câmara de Gaia disse, esta sexta-feira, compreender as dúvidas colocadas pelo homólogo do Porto sobre a nova ponte do metro, nomeadamente no que diz respeito à inserção urbanística nas margens, lembrando que nenhum dos dois pretende "remendos". No que diz respeito às alternativas que têm sido sugeridas, especialmente uma eventual inserção da futura linha Rubi na Ponte da Arrábida, o autarca gaiense considera não fazerem "sentido nenhum" e que até "iria desvirtuar aquilo que o metro significa".

Tribunal confirma condenação de comentador da BTV por insultos a Pinto da Costa

O Tribunal da Relação do Porto manteve a condenação de Pedro Abreu Rocha por insultos proferidos contra Jorge Nuno Pinto da Costa numa emissão do programa Lanças Apontadas, da Benfica TV, a 21 de novembro de 2018. O advogado foi condenado a pagar uma multa de 2.000 euros e 5.000 euros a título de indemnização.