Porto Editora manifesta "profundo pesar" pela morte de Ana Luísa Amaral

Porto Editora manifesta "profundo pesar" pela morte de Ana Luísa Amaral
| Norte
Porto Canal

O Grupo Porto Editora, proprietário da Assírio & Alvim, editora de Ana Luísa Amaral, expressou este sábado o seu "profundo pesar" pela morte da autora, numa publicação nas redes sociais.

Ana Luísa Amaral morreu esta sexta-feira, vítima de doença prolongada, aos 66 anos.

Leia o comunicado na íntegra:

O Grupo Porto Editora manifesta o seu profundo pesar pela morte de Ana Luísa Amaral.

A escritora, tradutora e professora universitária com vasta obra publicada entre poesia, teatro, ficção, ensaio e literatura infantojuvenil faleceu aos 66 anos, vítima de doença prolongada.

A sua obra está publicada em diversos países e mereceu inúmeras distinções e prémios em Portugal e no estrangeiro. Foi também a autora escolhida para ser homenageada na Feira do Livro do Porto, que arranca ainda este mês.

Em maio, a Assírio & Alvim publicou a antologia «O Olhar Diagonal das Coisas», que reúne toda a sua obra poética que se entende por mais de 30 anos.

O velório decorre esta tarde, partir das 17h00, na Capela de Porto Santo, em Leça da Palmeira. O funeral será amanhã, às 11h15, no tanatório de Matosinhos.

À família, amigos e leitores, o Grupo Porto Editora apresenta as suas sentidas condolências.

 

+ notícias: Norte

Combate estabilizado no Marão com previsão de melhorias à noite

O combate ao incêndio que lavra na serra do Marão, em Vila Real, está estabilizado, apesar da maior intensidade do vento, sendo esperadas melhorias com o cair da noite, disse à Lusa o segundo comandante distrital da Proteção Civil.

Fogo no Marão com duas frentes em zona de "difíceis acessos"

O incêndio que lavra desde a noite de sábado na serra do Marão tem duas frentes ativas em zonas de "difíceis acessos", mas não ameaça populações, disse à Lusa o segundo comandante operacional da Proteção Civil de Vila Real.

Obras na linha do Norte perturbam normal funcionamento dos comboios 

As obras na linha do Norte têm estado a perturbar o normal funcionamento dos comboios. Segundo sabe o Porto Canal, em causa está o projeto para o troço ferroviário entre Espinho, distrito de Aveiro, e Vila Nova de Gaia, distrito do Porto.