Fogo de Vila Pouca de Aguiar mantém frente activa

Fogo de Vila Pouca de Aguiar mantém frente activa
| Norte
Porto Canal / Agências

O incêndio que deflagrou na quarta-feira em Revel, Vila Pouca de Aguiar, mantém uma frente ativa de cerca de três quilómetros e lavra em zona de difíceis acessos, disse fonte da Proteção Civil.

“Está a arder em sítio de difíceis acessos, estamos a reposicionar os meios e a meter máquinas de rasto para fazer faixas”, referiu o segundo-comandante distrital de operações de socorro de Vila Real, Artur Mota.

Vão também, acrescentou, ser acionados os meios aéreos para “a primeira hora” para “refrescar um pouco” e ajudar no combate dos operacionais que permanecem no teatro de operações.

Segundo o ‘site’ da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o incêndio mobilizava, pelas 08:30, 274 operacionais e 80 viaturas.

“Temos 90% por cento do perímetro consolidado”, disse Artur Mota, apontando que a frente que se mantém ativa tem cerca de três quilómetros.

As condições meteorológicas previstas para o dia de hoje, como o vento e o calor, são encaradas com preocupação, bem como o facto de o combustível estar cada vez mais seco e mais disponível no terreno.

De momento, segundo frisou o comandante, não há qualquer aldeia em risco.

O alerta para o fogo foi dado às 17:14 e em pouco tempo verificou-se uma grande mobilização de meios para esta ocorrência que teve uma progressão muito rápida em zona de pinhal.

Ao final da tarde de quarta-feira o fogo ameaçou a aldeia de Filhagosa, sem provocar danos, tendo sido combatido pelos operacionais, populares e os meios aéreos. Chegaram a operar neste teatro de operações seis meios aéreos.

As chamas progrediram em direção à aldeia de Revel, mas os operacionais conseguiram cortar o incêndio muito antes de chegar à aldeia.

Este é o segundo grande incêndio numa semana neste concelho. O fogo que deflagrou no dia 17 de julho, em Cortinhas, Murça, evoluiu para Vila Pouca de Aguiar e queimou uma vasta área de pinhal e mato, ainda soutos, vinha e pastos.

+ notícias: Norte

Populares e ativistas marcaram presença num protesto contra a exploração de lítio na mina do Barroso

Na manhã desta terça-feira, dezenas de populares e ativistas marcaram presença numa manifestação contra a exploração de lítio na mina do Barroso. A arruada simbólica serviu de alerta para os impactos ambientais e para a escassez de água de que a região enfrenta e que a extração mineira pode agravar.

Trabalhadores da maior produtora de cogumelos frescos em greve por melhores salários e condições de trabalho

Os trabalhadores das unidades de produção da maior produtora de cogumelos frescos do país estiveram em greve ao longo desta terça-feira. Ao que apurou o Porto Canal, os trabalhadores exigem um aumento dos salários, do subsídio de alimentação e ainda melhores condições de trabalho.

Uso "desenfreado" de trotinetes aumentou "medo de usar o espaço público" em invisuais

O uso "desenfreado e sem civismo" de trotinetes aumentou o medo de usar o espaço público nas pessoas invisuais, agudizando o sentimento de isolamento de quem não vê, denunciou esta terça-feira a Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal.