Covid-19: Consumo de álcool na rua deixa de ser proibido

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 23 set 2021 (Lusa) -- O Governo aprovou hoje o fim da limitação da venda e consumo de álcool e dos limites em matéria de horários que tinham sido impostos devido à pandemia de covid-19.

O fim dos limites em matéria de horários e da limitação à venda e consumo de álcool acontece a partir de 01 de outubro, segundo o comunicado divulgado após a reunião do Conselho de Ministros, no qual o Governo aprovou a terceira fase de desconfinamento no âmbito da pandemia de covid-19.

A venda de bebidas alcoólicas é atualmente proibida em áreas de serviço ou em postos de abastecimento de combustíveis, enquanto o consumo de álcool é proibido em espaços ao ar livre de acesso ao público e vias públicas, excetuando-se as esplanadas abertas dos estabelecimentos de restauração e similares devidamente licenciados para o efeito.

O consumo de bebidas alcoólicas na rua é proibido desde o início da pandemia, em março de 2020, e esta tem sido a contraordenação mais levantada pelas forças de segurança no âmbito das medidas restritivas.

O primeiro-ministro anunciou hoje que a evolução positiva do país no controlo da covid-19 vai permitir que passe da atual situação de contingencia para alerta a partir de 01 de outubro.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.938 pessoas de covid-19 e foram contabilizados 1.064.876 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

CMP // ZO

Lusa/fim

+ notícias: País

Fisco vai avaliar e atualizar matrizes das barragens para cobrar IMI

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai fazer uma avaliação e atualização das matrizes das barragens e avançar com a cobrança do IMI desta tipologia de bens, segundo determina um despacho do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Nuno Félix.

Período de transição entre contratos do SIRESP vai custar ao Estado 7,4 milhões de euros

O período de transição vai custar, ao Estado, 1,2 milhões de euros por mês. De acordo com o Jornal de Notícias, o processo só deverá estar concluído no final de junho.

Primeiro prazo para reforço do poder das regiões já falhou

O prazo para o reforço do poder das regiões, no âmbito da transferência de competências das direcções regionais para as CCDR, seria o fim de janeiro. No entanto, de acordo com o jornal Público, o diploma ainda não está concluído.