Info

Companhia terá impacto de mais de 10.000 ME no PIB até 2030

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 set 2021 (Lusa) -- A TAP terá um impacto de mais de 10.000 milhões de euros no Produto Interno Bruto (PIB) português até 2030, segundo um estudo realizado a pedido da companhia aérea e citado hoje pela presidente executiva.

"Estima-se que a TAP contribua com mais de 10.000 milhões de euros para o PIB português até 2030", avançou Christine Ourmières-Widener, durante a sua intervenção na comissão parlamentar eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia da doença covid-19 e do processo de recuperação económica e social.

Segundo a responsável, os dados fazem parte das conclusões de um estudo realizado a pedido da companhia aérea, sem especificar a autoria da análise.

A responsável francesa foi hoje ouvida pelos deputados daquela comissão, numa sessão em inglês, com a presença de um tradutor, naquele que foi o primeiro ato público de Christine Ourmie`res-Widener, que assumiu o cargo em 25 de junho, substituindo Ramiro Sequeira, que assumiu a presidência executiva interinamente depois da saída de Antonoaldo Neves.

A engenheira aeronáutica francesa de 56 anos tem em mãos a tarefa de executar o plano de reestruturação da companhia aérea, proposto à Comissão Europeia em dezembro do ano passado, mas que ainda não recebeu 'luz verde'.

Na mesma ocasião, Christine Ourmie`res-Widener adiantou também que o despedimento coletivo que a empresa está a levar a cabo vai abranger 78 trabalhadores, abaixo dos 124 previstos, após a adesão às medidas de rescisão voluntária.

MPE // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Despedimento coletivo reduzido para 78 trabalhadores após mais quatro acordos

O despedimento coletivo na TAP vai abranger 78 trabalhadores, abaixo dos 124 previstos e depois da redução para 82 anunciada em agosto, após se terem alcançado mais quatro acordos, anunciou hoje a presidente executiva.

Reprivatização da Efacec deve estar concluída antes do final do ano

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, disse na noite de terça-feira que espera que o processo de reprivatização da Efacec esteja concluído antes do final do ano.

Calçado português "resistiu melhor" que os concorrentes ao impacto da pandemia

Redação, 18 set 2021 (Lusa) -- A indústria portuguesa de calçado "resistiu melhor" ao impacto da pandemia do que os concorrentes e evidencia já "sinais de recuperação" no primeiro semestre deste ano, com um crescimento homólogo de 12,3% das exportações, assinala a associação setorial.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.