Info

TAP: Já saíram 1.302 trabalhadores da transportadora desde 31 de dezembro de 2020

| Economia
Porto Canal com Lusa

Redação, 27 ago 2021 (Lusa) -- Já saíram 1.302 trabalhadores da TAP desde 31 de dezembro de 2020, adiantou hoje a transportadora aérea, em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), onde deu conta dos resultados do primeiro semestre deste ano.

A empresa referiu que, nesse período, "os custos operacionais totais ascenderam a 760,5 milhões de euros", um "decréscimo de 313,1 milhões de euros (-29,2%)" quando comparado com o primeiro semestre de 2020, "explicado maioritariamente pela redução material nas seguintes rubricas: custos com combustível (-40,4%), custos operacionais de tráfego (-43,7%), custos com pessoal (-8,6%) e depreciações e amortizações (-20,8%)".

"Esta redução é o resultado das medidas de restruturação executadas pela empresa, nomeadamente da diminuição do quadro de colaboradores -- desde 31 de dezembro de 2020 um total de 1.302 colaboradores saiu da empresa, o que representa uma redução de 16% na força de trabalho --, e da negociação dos acordos com os sindicatos através dos quais se definiram revisões salariais", lê-se na mesma nota.

A TAP SA reduziu, no primeiro semestre deste ano, os prejuízos, para 493,1 milhões de euros, uma recuperação de 15,3%, ou 88 milhões de euros, face aos resultados negativos de 582 milhões de euros do período homólogo.

ALYN // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Despedimento coletivo reduzido para 78 trabalhadores após mais quatro acordos

O despedimento coletivo na TAP vai abranger 78 trabalhadores, abaixo dos 124 previstos e depois da redução para 82 anunciada em agosto, após se terem alcançado mais quatro acordos, anunciou hoje a presidente executiva.

Reprivatização da Efacec deve estar concluída antes do final do ano

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, disse na noite de terça-feira que espera que o processo de reprivatização da Efacec esteja concluído antes do final do ano.

Calçado português "resistiu melhor" que os concorrentes ao impacto da pandemia

Redação, 18 set 2021 (Lusa) -- A indústria portuguesa de calçado "resistiu melhor" ao impacto da pandemia do que os concorrentes e evidencia já "sinais de recuperação" no primeiro semestre deste ano, com um crescimento homólogo de 12,3% das exportações, assinala a associação setorial.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.