Info

Covid-19: Pandemia já matou 3.551.488 pessoas em todo o mundo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Paris, 01 jun 2021 (Lusa) -- A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 3.551.488 mortos no mundo desde o anúncio feito pela Organização Mundial de Saúde sobre o surgimento da doença, na China, em dezembro de 2019, indica um balanço da agência noticiosa AFP.

De acordo com os dados obtidos hoje pelas 11:00 (hora de Lisboa) a partir de fontes oficiais, foram diagnosticados mais de 170.606.850 casos de infeção desde o início da pandemia. A grande maioria dos doentes recuperaram, mas uma parte ainda não totalmente avaliada conserva os sintomas durante semanas ou meses.

Os números baseiam-se nos balanços transmitidos diariamente pelas autoridades sanitárias de cada país. Excluem as revisões efetuadas posteriormente por diversos organismos de estatísticas, que concluem um número muito superior de mortos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem inclusive considerado que o balanço da pandemia poderá ser duas a três vezes mais elevado que o oficialmente recenseado. Uma parte importante dos casos menos graves ou assintomáticos também permanecem sem serem detetados, apesar da intensificação da despistagem em numerosos países.

Na segunda-feira, foram registados no mundo 8.264 novas mortes e 386.023 novos casos. Os países que registaram mais óbitos nos seus últimos balanços foram a Índia, com 2.795 novos mortos, o Brasil (806) e a Argentina (637).

Os Estados Unidos permanecem o país mais atingido em número de mortos e de casos, com 594.568 óbitos por 33.264.429 casos recenseados, segundo os dados da universidade Johns Hopkins.

Após os Estados Unidos, os países mais atingidos são o Brasil, com 462.791 mortos e 16.545.554 casos, a Índia, com 331.895 mortos (28.175.044 casos), o México, com 223.568 mortos (2.413.742 casos), e o Reino Unido, com 127.782 mortos (4.487.339 casos).

O Peru, que até segunda-feira contabilizava 69.342 casos relacionados com o novo coronavírus, reavaliou hoje o seu balanço em alta com base no trabalho de um conselho técnico em funções desde abril e composto por peritos peruanos e especialistas da OMS. Segundo estes peritos, o número real de mortos no país devido à covid-19 atingia no país 180.764 em 22 de maio, valor que não inclui os números diários fornecidos pelas autoridades de saúde peruanas.

Entre os países mais duramente atingidos pela pandemia, a Hungria é o que regista maior número de mortos em relação à sua população, com 308 mortos por cada 100.000 habitantes, seguida pela Bósnia-Herzegovina (282), República Checa (281), Macedónia do Norte (260) e a Bulgária (254).

Pelas 10:00 TMG de hoje (11:00 em Lisboa), a Europa totalizava 1.135.528 mortes por 52.931.363 casos, a América Latina e as Caraíbas 1.038.205 mortes (33.030.742 casos), os Estados Unidos e o Canadá 620.095 mortes (34.644.921 casos), a Ásia 483.159 mortes (36.492.018 casos), o Médio Oriente 142.767 mortes (8.614.810 casos), a África 130.632 mortes (4.844.198 casos), e a Oceânia 1.102 mortes (48.804 casos).

Este balanço foi realizado a partir dos dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades competentes e pelas informações da OMS. Devido às correções fornecidas pelas autoridades ou à tardia publicação de dados, o aumento dos dados no espaço de 24 horas pode não corresponder exatamente aos publicados na véspera.

PCR // PMC

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Jovens entre os 12 e os 18 anos estão impedidas de ir às aulas e professor pede ajuda internacional no Afeganistão

Quase quatro milhões de crianças, entre os 12 e os 18 anos, estão impedidas de ir à escola, no Afeganistão e, um professor pede ajuda internacional a pedir que instituições de todo o mundo possam dar-lhes aulas online para que consigam continuar a estudar.

Fundo Monetário Internacional considera que vacinas e variantes determinam evolução das economias africanas

Washington, 21 out 2021 (Lusa) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou hoje que o regresso à vida normal pós-pandemia na África subsariana não vai ser fácil e vai depender da evolução da vacinação e das variantes da covid-19.

Fundo Monetário Internacional avisa que aquecimento global tem consequências catastróficas em África

Washington, 21 out 2021 (Lusa) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) avisou hoje que a falta de iniciativas contra a redução da emissão de gases de efeito de estufa terá "potenciais implicações catastróficas" no mundo, com consequências "dramáticas" para a África subsaariana.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.