Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Espanha regista novo recorde diário de contágios com quase 45.000 novos casos

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Madrid, 21 jan 2021 (Lusa) -- A Espanha registou hoje 44.357 novos casos de covid-19, um novo recorde de contágios em 24 horas, elevando para 2.456.675 o total de infetados até agora no país, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

As autoridades sanitárias também contabilizaram mais 404 (menos 60 do que na terça-feira) atribuídas à covid-19, passando o total de óbitos para 55.041.

O nível de incidência acumulada (pessoas contagiadas) em Espanha continua a aumentar, passando de quarta para quinta-feira de 736 para 796 casos diagnosticados por 100.000 habitantes nos 14 dias anteriores.

As regiões com os níveis mais elevados são as da Extremadura (1.468), Múrcia (1.287), Comunidade Valenciana (1.166), Castela e Leão (1.142), Castela-Mancha (1.141) e La Rioja (1.135).

Nas últimas 24 horas, deram entrada nos hospitais 3.745 pessoas com a doença, das quais 682 em Madrid, 651 na Comunidade Valenciana, 568 na Andaluzia e 495 na Catalunha.

Em todo o país há 26.542 pessoas hospitalizadas com a covid-19, o que corresponde a 21% das camas, das quais 3.734 pacientes em unidades de cuidados intensivos, 36% das camas desse serviço.

O governo central espanhol tem estado a ser pressionado por muitas comunidades autónomas que exigem que tomem medidas, a nível nacional, mais duras contra a pandemia, face ao número crescente de doentes que têm entrado nos hospitais nos últimos dias.

Mais de metade das 17 regiões, incluindo algumas da esquerda, como o governo central, solicitaram sem sucesso na quarta-feira autorização para antecipar o recolher obrigatório.

A saúde é um setor descentralizado em Espanha, mas as autoridades regionais não podem atrasar para antes das 22:00 a hora o início do recolher obrigatório definida no decreto do estado de emergência que foi aprovado pelas autoridades centrais.

"Milhares de pessoas adoecem todos os dias, milhares vão morrer", disse o vice-presidente da região de Castela e Leão, Francisco Igea, descrevendo a decisão do governo como "injusta" e "autoritária".

Várias regiões, incluindo a Andaluzia (no sul do país e que faz fronteira com o Alentejo e o Algarve), a comunidade mais populosa de Espanha que tem quase a mesma dimensão de Portugal, também reivindicam o direito de forçar a população a um novo confinamento rigoroso (em casa).

Mas aqui, mais uma vez, o Governo chefiado por Pedro Sánchez recusa-se a fazê-lo e afirma que as medidas permitidas pelo estado de emergência são suficientes para inverter a curva de contágio.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.075.698 mortos resultantes de mais de 96,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.686 pessoas dos 595.149 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

FPB // EL

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Militar cercado em Azovstal partilha fotografias do interior dos abrigos. Veja as imagens aqui

Um militar ucraniano do regimento Azov colocou à disposição do público uma seleção de fotografias tiradas no interior da fábrica de aço Azovstal, último reduto da resistência ucraniana na cidade portuária de Mariupol.

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.