Info

Covid-19: Açores registam 42 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2

| País
Porto Canal com Lusa

Ponta Delgada, Açores, 17 jan 2021 (Lusa) -- Os laboratórios da região e privados dos Açores realizaram 1.380 análises nas últimas 24 horas das quais resultaram 42 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, anunciou hoje a Autoridade de Saúde.

Os casos registados na ilha de São Miguel, a mais afetada do arquipélago, foram 40, dois não residentes com histórico de viagem e análise positiva ao sexto dia, e 38 dos quais em contexto de transmissão comunitária, tal como os dois registados na ilha Terceira.

Registaram-se 86 recuperações e 22 internamentos, havendo duas cadeias de transmissão ativas, uma em São Jorge - "sendo que o último elemento que integra esta cadeia foi evacuado para o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira - prevendo-se que a situação seja temporária", e outra no Faial.

Existem 831 casos ativos na região, sendo 794 em São Miguel, 28 na Terceira, três no Faial, um no Pico e cinco nas Flores, e foram detetados até hoje 3.034 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, verificando-se 23 óbitos e 2.082 recuperações.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.022.740 mortos resultantes de mais de 94,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 8.709 pessoas dos 532.416 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

JME // EA

Lusa/Fim

+ notícias: País

Portugal regista mais 2898 casos de Covid-19 e mais 13 mortes nas úlltimas 24h

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2.898 casos confirmados de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 13 mortes atribuídas à covid-19, bem como mais 75 pessoas internadas com a doença, segundo a Direção-Geral da Saúde.

Portugueses retidos em Marrocos pedem voo de repatriamento 

Depois do fecho das fronteiras de Marrocos, várias dezenas de portugueses ficam retidos e, segundo apurou o Porto Canal, pedem um voo de repatriamento. Em declarações ao Porto Canal, os portugueses retidos tentam encontrar soluções, mas muitas delas com custos insuportáveis.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.