Covid-19: Aeroporto da Madeira passa de 60 para 140 frequências em agosto

| País
Porto Canal com Lusa

Funchal, Madeira, 31 jul 2020 (Lusa) -- O movimento no Aeroporto da Madeira vai aumentar de 60 frequências semanais efetuadas em julho para 140 em agosto, entre partidas e chegadas, evidenciando que "a retoma está a acontecer", disse o secretário do Turismo do arquipélago.

"O movimento aeroportuário satisfaz e há perspetiva para um mês de agosto de crescimento acentuado. De julho para agosto vamos passar de 60 frequências semanais para 140", afirmou Eduardo Jesus à agência Lusa.

Para o governante madeirense, a situação evidencia que "a retoma se está a fazer lenta, mas de uma forma consolidada", sendo este "o grande objetivo" do executivo, coligação PSD/CDS, liderado pelo social-democrata Miguel Albuquerque.

"Sim, a retoma já aconteceu, está a acontecer", sublinhou.

Em termos da nacionalidade dos visitante, há "portugueses e muitos estrangeiros, acima de tudo oriundos de vários países europeus, apesar de terem chegado à Madeira cidadãos dos Estados Unidos".

As companhias aéreas retomaram a linha da Madeira, numa primeira fase, com um número menor de frequências, mas há perspetivas de crescimento das ligações já para o mês de agosto, com a TAP, a easyjet, a Transavia, a Binter, a Sata, a Edelweiss Air, a Jet Air Fly, a Tui Fly, a Jet.2 - que "é grande novidade para o início do mês de agosto" -, a Smartwings, a Lufthansa ou a Bristish Airways.

"É uma variedade bastante grande de companhias que já conhecem o destino e que nos unem a países e origens importantes", realçou.

O governante destacou, nesta retoma, as ligações da Madeira com Lisboa e Porto, Paris, Amesterdão, Ponta Delgada - que faz a ligação também com os Estados Unidos -, Canárias, Bruxelas, Zurique, Frankfurt, Dusseldorf, Londres, Praga e vários áreas britânicas, como Manchester, Glasgow, Leeds, Edimburgo e East Midlands.

Esta programação, acrescentou, visa "retomar ligações, a retomar frequências, a continuar com parcerias antiga, no sentido de manter essas companhias, apoiá-las e fazer com que esta retoma vá ganhando cada vez mais fôlego".

O objetivo é que a operação se possa "traduzir num maior número de pessoas a visitar a Região Autónoma da Madeira".

Eduardo Jesus destacou "as diligências que foram feitas e negociações em curso para fomentar a vinda de turistas com os operadores turísticos", através da Associação de Promoção da Madeira (APM), num "papel muito ativo com reuniões e encontros permanentes com operadores, companhias aéreas".

"A APM tem estado perto de todas as oportunidades que se perspetivam para a Madeira, onde também se fechou uma grande operação para o Porto Santo com os quatro maiores operadores nacionais", referiu.

Nesta ilha, em 20 de julho teve início "uma operação importante" que envolve os operadores nacionais (a Abreu, a Sonhando, a Solferias e a Soltropicos) e dura até 21 de setembro, envolvendo cerca de 3.300 passageiros.

"Além de outras operações que estamos a apoiar e cativar para o Porto Santo, esta é grande operação que se conseguiu fechar numa batalha continuada no tempo, que mostrou empenho e vontade de todos", afirmou.

AMB // ROC

Lusa/fim

+ notícias: País

Fisco vai avaliar e atualizar matrizes das barragens para cobrar IMI

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai fazer uma avaliação e atualização das matrizes das barragens e avançar com a cobrança do IMI desta tipologia de bens, segundo determina um despacho do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Nuno Félix.

Período de transição entre contratos do SIRESP vai custar ao Estado 7,4 milhões de euros

O período de transição vai custar, ao Estado, 1,2 milhões de euros por mês. De acordo com o Jornal de Notícias, o processo só deverá estar concluído no final de junho.

Primeiro prazo para reforço do poder das regiões já falhou

O prazo para o reforço do poder das regiões, no âmbito da transferência de competências das direcções regionais para as CCDR, seria o fim de janeiro. No entanto, de acordo com o jornal Público, o diploma ainda não está concluído.