Covid-19: Número de infetados em África supera os 900 mil casos

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Redação, 31 jul 2020 (Lusa) -- O número de infetados pelo novo coronavírus em África superou os 900 mil casos, segundo os dados mais recentes da pandemia no continente, que contabilizam perto de 20 mil mortos.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infetados é de 908.931, mais 17.732 nas últimas 24 horas, havendo agora 556.695 recuperados, mais 15.823. Foram também contabilizados mais 81 mortos, somando um total de 19.310 óbitos.

O maior número de casos e de mortos de covid-19 continua a registar-se na África Austral, com 503.751 infetados e 8.250 óbitos.

Nesta região, só a África do Sul contabiliza 482.169 infetados e 7.812 mortos, o país mais afetado no continente.

A região da África do Norte tem agora 157.836 infetados, com 6.598 mortos, e na África Ocidental os casos subiram para 126.369, com 1.899 vítimas mortais.

Na região da África Oriental registam-se 74.114 casos e 1.655 mortos e na África Central os infetados atingiram os 46.831, com 908 óbitos.

O Egito é o segundo país com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, contabilizando 93.757 casos e 4.774 mortos, seguindo-se a Argélia, com 29.831 infetados e 1.200 vítimas mortais.

Entre os cinco países mais afetados, estão também a Nigéria, que regista 42.689 infetados e 878 mortos, e o Sudão, com 11.496 casos e 720 vítimas mortais.

Em relação aos países africanos que têm o português como língua oficial, Cabo Verde lidera em número de casos (2.418 casos e 23 mortos), seguindo-se Guiné-Bissau (1.981 casos e 26 mortos), Moçambique (1.808 casos e 11 mortos), Angola (1.109 infetados e 51 mortos) e São Tomé e Príncipe (868 casos e 15 mortos).

A Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), mantém há várias semanas 3.071 casos e 51 mortos, segundo o África CDC, embora as autoridades equato-guineenses relatem menos casos positivos (2.350) e o mesmo número de falecimentos.

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 667 mil mortos e infetou mais de 17 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Na quinta-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que o número de casos de covid-19 em África vai ultrapassar um milhão "nos próximos dias", assinalando que registou um aumento de "50% nos últimos 14 dias".

PJA // PNG

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

NASA envia nave para alterar trajeto de asteroide

A NASA, agência espacial norte-americana, vai enviar a sua nave DART numa missão para colidir com um asteróide, no primeiro teste de uma técnica que pode um dia ser necessária para desviar um objeto espacial que ameace colidir com a Terra.

Comissário da Economia insta novo governo italiano a cumprir acordo de Draghi

O comissário europeu de Economia, Paolo Gentiloni, instou esta segunda-feira o futuro Gobierno italiano a respeitar o plano de recuperação acordado entre as autoridades comunitárias e o Executivo de Mario Draghi.

Pelo menos 75 mortos na repressão das manifestações no Irão

Pelo menos 75 pessoas já foram mortas no Irão na repressão das manifestações iniciadas há dez dias pela morte de uma jovem mulher detida pela polícia da moralidade, indicou hoje a ONG anti-regime Iran Human Rights (IHR), sediada em Oslo.